quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Ação Literária - Fevereiro

Oi gente, tudo bem?

Sabe aquele livro que foi a sua maior companhia durante uma viagem? É sobre ele que eu vou falar hoje! O Ação Literária de fevereiro escolheu como tema um livro lido durante uma viagem, porque fevereiro, vocês sabem, sempre nos remete à férias e carnaval!

Para quem não conhece, no Ação Literária vários blogs se reúnem e escolhem um tema a cada mês para indicar um livro para os nossos seguidores! Vocês já viram posts do ação literária desse mês espelhados por muitos blogs lindos por aí? Espero que sim!

Eu não lembro o ano com precisão (mas já faz bastante tempo), eu fui passar as minhas férias de janeiro na casa da minha avó no interior de Minas. Eu sempre amei viajar para lá, sou apaixonada pela cidade, pela tranquilidade e pelo céu mais estrelado que eu já vi em toda a minha vida.

Lá o meu celular não pega, o que é muito bom quando a gente quer se desligar um pouco e curtir a família. Nesse ano, em especial, eu esqueci a minha bolsinha de livros (eu sempre separo alguns livros para levar nas viagens) aqui em casa, mas, eu tenho uma tia tão leitora quanto eu e a principal incentivadora da minha paixão por livros.

Na época, na minha cidade não tinha livraria e eu ainda não tinha a prática de comprar livros pelas lojas virtuais, não era algo comum. Minha tia, que morava no Rio, sempre chegava na casa da minha avó cheia de livros que eu ainda não tinha ouvido falar e me deixava xeretar à vontade nos livros que ela tinha levado para a sua própria distração, foi assim que tive o meu primeiro contato com o Os Catadores de Conchas, de Rosamund Pilcher.


Os Catadores de Conchas

A saga de Penélope Keeling, filha de um pintor vitoriano idoso e de uma jovem francesa, liberal e independente, cuja existência confunde-se com a de milhares de mulheres. O universo de uma mulher vigorosa, firme e bela. A saga familiar de Rosamunde Pilcher, lançada em 1987, na Europa e, em 1990, no Brasil, ganha uma introdução, escrita pela autora, em homenagem à trajetória de sucesso da obra. Neste texto, Rosamunde conta a história da criação de Os Catadores de Conchas.*
*sinopse retirada da página do livro no Skoob.


Os meus dias então foram preenchidos pelas histórias dos membros da família de Penélope Keeling e eu lembro que eu gostei tanto da história e da forma de escrita da autora que eu não conseguia deixar o livro de lado.

Queria poder lembrar da história com mais clareza para fazer uma resenha para vocês, mas já tem tanto tempo que a minha memória está falhando e eu temo dar informações erradas sobre o livro. Mas, por mais que a história esteja fugindo da minha memória, as sensações que aquela leitura me proporcionou não foram esquecidas, tanto que, de todos os livros de todas as férias que eu passei na casa da minha avó em Minas é de Os Catadores de Conchas que eu me lembro. Se fecho os olhos, consigo lembrar de mim mesma sentada na varanda à tarde, ouvindo os passarinhos e mergulhada na leitura.

Ainda hoje, se passo pela casa da minha tia e vasculho a sua estante é no exemplar de Os Catadores de Conchas que os meus olhos param e surge aquela vontade de reler a história para me lembrar do porquê que o livro me marcou tanto. Já cansei de jogar indiretas para a minha tia para pegar o livro para mim (quem nunca? rsss), mas ela sempre foge do assunto. Acho que o livro deve ter tocado o coração dela tanto quanto tocou o meu!

Espero que gostem! Se você já leu Os Catadores de Conchas, me conte nos comentários!!

Com carinho,










33 comentários:

  1. Olá,

    que legal, moro em Minas (Juiz de Fora), apesar de ser interior, gosto do interiorzão mesmo. Sobre o livro confesso que não conhecia e não gerou interesse na leitura. www.sagaliterar.com.br

    ResponderExcluir
  2. Jogar indiretas pra pegar livros me é tãaao comum que meio que faço até sem querer as vezes.
    Nada melhor que poder a paz, o silêncio, a família e uma boa leitura longe da tecnologia. Tem tanto tempo que eu não faço isso que bateu até uma vontade agora.
    Com um filho pequeno, serviço e os afazeres da casa o tempo para leitura se torna cada vez mais escasso.
    Não conhecia o livro e ao ler o seu relato acabei ficando um pouco curiosa.

    ResponderExcluir
  3. Oii,
    Acho legal essa ação de viajar e ler e escolher um livro por mês entre os blogs, mas ainda não me sinto pronta para participar, rsrs.
    Enfim esse livro eu não conhecia, mas fiquei curiosa, um livro que toca assim leitor e sempre interessante descobrir porque. Espero que um dia sua tia seda e lhe de o livro. kkkkk

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Mari,amo Minas também.Que bom que você tenha uma tia leitora e incentivadora da leitura.Não li ainda ,Os Catadores de Conchas,mas gostei bastante da premissa.Quero muito conhecer Penélope e sua família e também poder ser tocada por essa história.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Eu não conhecia este tipo de ação literária, mas o tema escolhido para fevereiro combinou perfeitamente com o clima de viajante. Os Catadores de Conchas é um livro que não conheço, mas também não me interessei pela saga de Penélope Keeling. Fico feliz que tenha feito parte de sua história.

    ResponderExcluir
  6. Nunca vi falar desse livro,mas achei bem intenso. Adorei a proposta do seu post.Achei bem criativa.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Nunca cumpro esses desafios literários, sou uma negação!! Mas, admiro quem os faz.
    Não conhecia esse livro, confesso que se olhasse ele na livraria eu o ignoraria. Mas, nada como uma resenha pra nos apresentar a obra e nos fazer enxergar o que injustamente julgamos. Gostei da temática, parece que vai realmente me prender, vamos dar uma chance né? ^^
    Parabéns
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  8. Mari, não tive interesse algum pelo livro, mas a tua história com ele achei uma graça.
    Eu gostaria de ter alguém na minha família assim como sua tia, mas eu fico assim meio sozinha entre meus livros. Sempre foi assim.
    Esse desafio deve ter te trazido ótimas memórias de viagem. Achei lindo.

    ResponderExcluir
  9. Gostei de conhecer o livro, parece ser um livro muito bom, gostei de saber que é um livro bem tocante, fiquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  10. Gostei de conhecer o livro, parece ser um livro muito bom, gostei de saber que é um livro bem tocante, fiquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  11. Não consigo ler em viagens, levo apenas um livro para ler enquanto espero a condução. Normalmente é aquele que já estou lendo no momento.
    O livro indicado não faz muito meu estilo, por isso não me interessei em ler.

    ResponderExcluir
  12. Oiiie
    nooosssa, primeira vez que eu vejo resenha sobre esse livro, o tenho aqui faz muito tempo porém nunca nem cogitei em ler, mas sua resenha me deixou curiosa pois o enredo me chamou bastante atenção e adoro esse gênero mais fortes

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Ótima dica, não conhecia a obra.
    Pena que aqui no estado não tem nada disso, muito menos na minha cidade, sou blogueira independente sem conhecer nenhuma a mais no municipio, é uma pena.
    Parabéns pela iniciativa.
    http://kammyriquelme.blogspot.com/
    Xoxo

    ResponderExcluir
  14. Oi Mari eu nunca li esse livro eu gostei bastante da sinopse dele, já coloquei na minha lista de leitura bjs.

    ResponderExcluir
  15. Oiiii
    Eu não conhecia esse livro! Não faz muito meu gênero, acho que não leria!
    Achei bem legal essa Ação Literária!
    Bjus

    ResponderExcluir
  16. Oie. Que pena que você não lembra tão bem do livro. Com certeza marcou de alguma forma para que você o indicasse.
    Nunca havia ouvido falar do livro e acho que não leria por não fazer o meu estilo. Me parece um livro bem bacana para quem gosta do gênero.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel
    relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Mari, nossa fiquei curiosíssima para ler esse livro agora!!
    Nunca tinha lida nada sobre ele, mas a capa é lindaaa,e ele te marcou tanto que fiquei curiosa!!
    Releeeeia vai, daí você faz uma resenha pra gente!!!!!
    bjooos

    ResponderExcluir
  18. Nossa, que interessante!
    Eu nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas você me deixou muito curiosa. A premissa também parece muito chamativa, embora a capa não tenha me agradado tanto. Acho a releitura uma boa, deixa a gente com a história mais fresca na memória. :)

    ResponderExcluir
  19. Olá Mari!
    È tão bom viajar lendo né!
    Já li alguns livros da escritora e gostei.
    Vou procurar saber mais desse livro!
    bjus

    ResponderExcluir
  20. Olá, gostei muito da ideia para o mês de fevereiro...nunca tinha ouvido falar dessa obra, e fiquei interessada em saber mais a respeito.

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  21. Naõ conheço o livro, mas ele não me chamou tanta atenção como esperava.

    ResponderExcluir
  22. Oi Mari,
    Esse livro realmente era para você! Tudo conspirou para que você o lesse naquele momento,rs
    Tem alguns livros que nos marcam muito, e mesmo sem lembrar bem da história, lembramos das sensações que tivemos ao ler
    Beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Gostei...
    Nada se compara a ter um livro para Ler quando se estar viajando, gostei muito da sua indicação.
    Com certeza vou dar uma conferida nessa obra.

    ResponderExcluir
  24. Nunca vi, mas achei legal. Procurei umas coisas dele aqui e acho que seria um livro que adoraria ler. Uma ótima dica =D
    ps: Jogue mais umas indiretas pra conseguir ler de novo xD

    ResponderExcluir
  25. Hey,
    Não conhecia essa iniciativa do Ação Literária. Achei super legal.
    Que legal esse tema também. Todos tem esse tipo de livro que marca a nossa memória (assim como um de um familiar ou amigo que te marca e você tem vontade de nunca devolver). Achei a sinopse interessante, uma premissa legal, me deixou curiosa.
    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  26. Olá, que bacana esse post. Ainda não conhecia esse livro, mas pela sinopse me pareceu interessante. Eu tenho levado livros comigo em minhas últimas viagens (que no caso são nos dias em que vou pra outra cidade fazer provas da faculdade) já que passar horas e horas esperando sem ter nada para fazer não é muito legal, das duas vezes que levei livros, quase consegui terminá-los no tempo livre que tive.

    ResponderExcluir
  27. Não conheço o livro, mas tbm tenho xodós assim, não lembro muito mas sei que amei tanto qnd li que vou amar e indicar ever

    ResponderExcluir
  28. Sempre levo um livro comigo, não importa se a viagem é longa ou curta, sempre da um tempinho pra ler.

    ResponderExcluir
  29. Não conhecia o livro, mas fiquei curiosa com a sinopse. E o melhor do seu texto, com certeza, foi seu relato; adoro essas lembranças e contos de como o leitor conheceu algum livro ou foi marcado por ele.
    Tenho uma sugestão: compra um exemplar novo para sua tia e pede o dela para vc, já que ele tem todo um significado para vc. Será que ela aceitaria a troca!!???
    Enfim adorei ler esse texto cheio de sentimentos bons. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  30. Sorte sua ter essa sua tia! Esquecer de levar os livros é ruim hein? É a mesma coisa de esquecer de levar o carregador, ou pior. Não me interessei muito pelo livro :( você disse "bolsinha" mas imaginei uma "humilde" bolsa bem grande!

    ResponderExcluir
  31. Percebi que tinha visto esse livro em algum lugar e perguntei pra um primo meu se era ele que tinha e era esse mesmo. Haha, vou dar uma de pedinte, quem sabe consigo ler também xD

    ResponderExcluir
  32. Oi!
    Que post interessante. Qualquer blog pode participar do Açao Literária? Fiquei com vontade, rs.
    E sobre o livro, não conhecia. Adorei a dica dr leitura!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  33. Oi, tudo bem?
    Sempre bom conhecer livros novos, no entanto este não me chamou atenção :/
    Bjs

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.