sábado, 26 de dezembro de 2015

Resenha - Híbrida

Oi gente, tudo bem?

Como passaram de Natal? Espero que tenham aproveitado bastante ao lado das pessoas que amam e agora é preparar para comemorar mais uma virada do ano, graças a Deus!

Hoje tem resenha de nacional por aqui e eu adoro ter a oportunidade de trazer novas histórias dos nossos autores para vocês! Dessa vez vamos conversar sobre Híbrida, da autora Mari Scotti. A Mari lançou a continuação de Híbrida na Bienal do Livro deste ano e eu confesso que estou curiosa para ler Guardião. 

O que diz a contracapa:

Híbrida

"Por toda vida Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobisomem como era esperado, e afastava-se cada vez mais desta natureza. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina. Há quase cem anos a rainha dos vampiros fora sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei omisso e cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une a maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo a morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que o que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio."






Minha opinião:

Em Híbrida acompanhamos a história de Ellene, uma moça que foi criada em uma vila de lobos, por uma família de lobos, ao lado do seu melhor amigo (e paquerinha) lobo Tomás, mas que se sentia diferente das demais pessoas da vila. Mesmo após atingir a idade certa, não passou pela transformação que todos os seus demais amigos passaram e isso fez Ellene questionar a sua própria origem.

Ellene sempre soube que foi adotada e acreditava que seus pais escondiam a verdade sobre sua verdadeira mãe, fora isso, Ellene nada sabia sobre seu passado, a única família que conhecia era a que a criou.

Com a ajuda de Tomás, seu melhor amigo, Ellene partiu em busca de maiores informações. Preciso falar que achei Tomás um fofo, mas sempre disponível demais para Ellene que, a princípio, parecia não querer mais que sua amizade. Tomás estava sempre ao seu lado, se arriscando para protegê-la, em nome de um amor que não parecia ser correspondido.

Algo estranho acontecia com Ellene, ela sonhava com um homem que nunca antes havia visto. Além dos sonhos, esse homem também parecia poder se comunicar com ela através da mente. Estamos falando de Milosh, um forte vampiro marido da rainha Elizabeth, que há mais de 100 anos foi sequestrada e nunca mais ninguém soube de seu paradeiro. Milosh permaneceu fiel a Elizabeth por todos esses anos, não apenas como marido, mas também preservou a lealdade de súdito. Muitos queriam que a coroa fosse entregue a outro, Milosh lutava para encontrar sua amada antes que isso acontecesse e usa de alguns artifícios para chamar a atenção dos sequestradores.

A história de Milosh e Elizabeth de alguma forma se cruza com a de Ellene, a partir do momento que os sonhos e as conversas mentais passaram a ficar mais frequentes entre os dois. Ellene se arriscava mais e mais cada vez que mergulhava na investigação sobre seu passado, confiando cegamente em pessoas estranhas. Aliás, Ellene foi a personagem que menos me conquistou, mas tentei me colocar em seu lugar na busca por respostas e entender o seu temperamento.

Pela primeira vez eu não soube para quem torcer em uma história. Explico: normalmente conseguimos nos localizar entre os personagens do livro, sabemos quem são os mocinhos, os vilões e, mesmo que inconscientemente, acabamos escolhendo um lado para torcer. Isso não aconteceu comigo em Híbrida, apesar de alguns personagens levarem a "roupa" de bom ou mau, não sei se confio nesse julgamento. Algo me diz que existe muito mais a ser contado sobre cada personagem e aquele que, à primeira vista, parece ser o vilão, pode ser, no final das contas, o bonzinho da história. Será?

Algo que merece ser destacado é a preocupação da autora com o ambientação. A histórica claramente se passa na cidade de São Paulo e a autora cita locais, estações de metrô, bairros, tudo por nome! Eu não conheço São Paulo direito (fui apenas uma vez), mas adoro quando o autor tem essa preocupação. Em livros onde a história se passa no Rio (onde eu moro) é ótimo poder imaginar exatamente o local onde o personagem está porque o autor teve o cuidado de ambientar bem a história na cidade onde passa.

Híbrida é um livro que nos envolve em dois mistérios distintos mas que, acho, possuem alguma ligação entre si: qual é a verdadeira origem de Ellene? Onde está Elizabeth e o que acontecerá com a coroa? A autora deixou essas questões no ar, pois não são respondidas nesse primeiro volume da série. Vi bastante gente reclamando desse final tão aberto, principalmente em razão da falta de previsão para o lançamento da continuação. Eu também não curto nada chegar ao fim de um livro sem a solução das questões que permaneceram em nossa mente durante toda a leitura. Mas, a boa notícia é que Guardião já foi lançado e eu acredito (e espero) que algumas questões tenham sido respondidas e é por isso que estou curiosa pela leitura.

Espero poder ler em breve para contar para vocês se essas perguntas foram respondidas ou não!

Quem já leu?

Com carinho,







Dados do livro:

Nome: Híbrida
Autora: Mari Scotti
Editora: Novo Século
Páginas: 360


 




15 comentários:

  1. Olá, Mari. Eu nunca li nenhum livro com a forte presença de lobos, mas Híbrida me prendeu o suficiente. Ellene não me convenceu a princípio com a sua busca sem fim por alguém que não conhecia, mas fui entendendo tudo após as relações mentais que ela possuía. Thomas é um fofo mesmo, a disponibilidade dele pode ser irritante às vezes. Gostei muito da história!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mari. Híbrida é uma história receosa para mim, pois são de lobos, logo penso mais criticamente em relação a história. Mas, a autora conseguiu me conquistar com seus aspectos. O que mais gostei foi a construção dos personagens e a interligação entre os mesmos através da mente, um ponto forte do livro é também a falta de confiança neles.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Faz um tempo que estou de olho nesse livro e preciso ler adorei a historia, os personagens e parece ser cheia de mistérios e mesmo tendo um tema já conhecido a autora nos apresenta um mundo novo, com certeza irei ler !!

    ResponderExcluir
  4. Minha querida vc perece que advinha os livros que pretendo ler e acaba trazendo sua opinião antes para me deixar curiosa. Pretendo ler Híbrida no início do ano e amei saber sua opinião. Com certeza livros onde o final fica em aberto só são bons quando a sequência já está disponível, ainda bem que esse é o caso (assim que eu começar a leitura já entro em contato com a autora é já compro Guardião).
    Vi a autora falando uma vez que queria ter desenvolvido melhor esse primeiro livro ante de lançar, mas na época não foi possível, por isso acredito que os próximos serão mais conclusivos.
    Enfim amei ler sua opinião. Beijos linda e ótimo domingo!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  5. Mari!
    Adoro livros de vampiros e seres fantásticos.
    Fiz parceria com a Mari e espero em breve poder me deliciar com seus livros e poder desvendar todos os mistérios.
    Gosto dos finais abertos, mas quando as continuações saem logo e nno caso aqui, o próximo livro já saiu, bem bacana.
    “Feliz Ano Novo, que este ano seja superado pelo velho em felicidades, amor, esperança, fé, paz e que o ano seguinte seja em dobro, tenha um feliz e prospero ano novo.” (Chium)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  6. Mari,o Natal foi maravilhoso!Não gosto muito de fantasias,mas essa trama parece ser bem rica para aqueles que apreciam o estilo,pois está recheado de intrigas,poder,amor e ódio e dois personagens bem interessantes Ellene e Milosh.Senti pena do Tomás tão prestativo,porém não correspondido por Ellene como gostaria.Quando pegamos uma história e não sabemos para que personagem torcer realmente não é tão agradável a sensação,ficamos realmente perdidas.Acho legal também quando conhecemos o local da ambientação da história.Realmente é chato o livro terminar tudo em aberto.Espero que o próximo,O Guardião comece a responder.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  7. Os unicos livros de lobo q li foi crepusculo, porém gostei da sinose de hibrida.

    ResponderExcluir
  8. Oi mari nunca tinha lido nenhum um livro dessa escritora confesso que a capa não me chamou a atenção mas lendo a sinopse e a resenha parece que o livro é bem interessante já está na minha lista de leitura obrigada pela dica bjs.

    ResponderExcluir
  9. Lobos e vampiros num enredo de livro, já não me interessam mais, como na época em que li Crepúsculo.
    Apesar de Híbrida parecer ser mesmo uma história envolvente, acredito que ,por enquanto, não seja uma opção de leitura pra mim.

    ResponderExcluir
  10. Tenho bastante vontade de ler esse livro. Já tinha lido algumas resenhas dele, e parece ser um livro realmente muito bom. Eu acho que nunca li nenhum livro com lobos, a maioria das fantasias assim é com vampiros...
    Só não gostei de saber que o final é bem aberto, mas pelo menos o próximo livro já foi lançado...
    Esse é um livro que já está na minha meta para o ano que vem, espero gostar dele também.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oie!

    Eu já conhecia esse livro de outras resenhas passadas em outros blogs e também por divulgações da própria história. Eu amo histórias fantásticas, mas não suporto as que têm lobos ou lobisomens em seu enredo. Por mais que você, assim como muitos outros blogueiros, tenha gostado da obra, eu não lerei :/ Não é nada contra a literatura nacional, até leio muitos nacionaaais, mas esse, pela história, não me chama atenção mesmo :/

    Mas parabéns pela ótima resenha!

    Abs!

    ResponderExcluir
  12. Conheço os livros da autora mais ainda não li nenhum deles.
    Gosto de ler romances sobrenaturais. Dificil essa coisa de não saber que partido tomar durante a leitura, hein?

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia esse livro, ainda não li nada da autora Mari Scotti, mas sempre é bom ver livros da literatura nacional, lendo a sinopse e um pouco mais sobre o livro Hibrida na sua resenha, fiquei bem interessada, pois a história me chamou a atenção, pretendo lê-lo futuramente.

    ResponderExcluir
  14. Histórias entre gerações que de alguma maneira se inteligam, voltando ao passado para descobrir a própria origem, amor não correspondido, lobos, vampiros, Brasil! Uau Adorei a resenha, ainda não o conhecia, porem agora que conheço não tem como esquecer! Pena que é série :/ Isso já ta se tornando cansativo pra mim :\

    ResponderExcluir
  15. Mari algumas questões são respondidas sim em Guardião e alguns personagens assumem mais seu papel de vilão ou mocinho, é demais! Eu gostie muito de Híbrida sim, apesar de não ter simpatizado com a Elle desde o começo mas no segundo volume isso melhorou muitooooo, fiquei apaixonada por Guardião. Espero que você leia e goste também e que responda suas duvidas!

    beijos
    http://pobreleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.