quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Resenha - A Biografia Íntima de Leopoldina

Oi gente, tudo bem?

Quem acompanha o blog nas redes sociais viu o livro A Biografia Íntima de Leopoldina me acompanhando. Eu sempre amei história e gosto muito de biografias, por isso, foi ótimo conhecer um pouco mais sobre a vida de Leopoldina nesse livro muito completo.

Li o livro através da parceria do blog Livros e Chocolate Quente e a Editora Planeta, a resenha foi publicada lá no dia 11/11/15, o link está aqui.


O que diz a contracapa:


Leopoldina de Habsburgo é um personagem decisivo na história do Brasil. Mas sua vida íntima é pouco conhecida. Baseada no que contam (e ocultam) as cartas de Leopoldina, em um tom intimista e no ágil estilo do vienense Stefan Sweig, esta obra de Marsilio Cassotti é uma educação sentimental e política digna de escritores franceses do porte de Stendhal ou Flaubert, mas ambientada no Brasil. É a biografia de uma mulher excepcional escrita com rigor histórico, que se lê como um romance. Além do papel decisivo de Leopoldina na Independência do Brasil, a biografia narra a frieza com que Carlota Joaquina (sua sogra) a trata por ela não ser uma portuguesa ou espanhola. Seu marido, D. Pedro I, não é tão seletivo. Para ele, quando se trata de amor físico, basta que seja mulher. Leopoldina, por sua vez, sublima a dor das traições em constantes gestações e nos cuidados com os filhos. Esses e outros detalhes da vida de Leopoldina são abordados de forma única e saborosa nessa biografia romanceada.

Minhas Impressões:

Eu sempre gostei muito de História, na época de colégio era a minha matéria favorita (de longe...rsss). Amava conhecer tudo o que tinha acontecido no mundo mas, principalmente, aqui no Brasil.


Uma figura histórica sempre me chamou especialmente a atenção, Leopoldina, arquiduquesa da Áustria e primeira Imperatriz do Brasil. Essa curiosidade particular nasceu quando eu ainda estava na quarta série (na minha época se chamava quarta série, agora modificou a nomenclatura) quando a minha professora de Estudos Sociais trouxe para sala a letra do samba e enredo de uma das escolas de Samba aqui do Rio, a Imperatriz Leopoldinense. A música se chamava Leopoldina, a Imperatriz do Brasil e era uma aula de história. Eu conseguia imaginar tudo o que aconteceu, desde a chegada da família real ao Rio, a necessidade de D. Pedro I em se casar e a escolha da noiva, Leopoldina.


Desde então, sempre fui curiosa para ler sobre sua vida, como foi o casamento com d. Pedro e a chegada ao Brasil. Fiquei muito feliz quando a Editora Planeta lançou A Biografia Íntima de Leopoldina e disponibilizou para a resenha. Finalmente eu iria conhecer mais sobre aquela figura histórica que tanto chamou a minha atenção ainda na infância.


O livro é incrivelmente rico, fiquei encantada com a quantidade de detalhes que o autor reuniu em sua obra. Acompanhamos desde o nascimento de Leopoldina na Áustria até a sua morte, aqui no Brasil.


A escrita foi baseada, principalmente, nas cartas que Leopoldina trocava com seus familiares, em especial, sua irmã Maria Luisa que foi casada com Napoleão Bonaparte. O autor narrava em terceira pessoa os acontecimentos e, em grande parte das vezes, transcrevia partes das cartas pessoais de Leopoldina.


Foi incrível poder "entrar na mente" de Leopoldina e conhecer seus sonhos, medos e anseios. A forma como foi criada por sua mãe, madrastas (após a morte da mãe) e preceptoras. Por mais que tenhamos aquela ideia de contos de fadas, as vidas das princesas não eram nada fáceis. Elas tinham que se submeter às ordens dos reis e, principalmente, aceitar casamentos que trariam boas alianças para as famílias reais.


Leopoldina era muito religiosa, acreditava nos laços indissolúveis do casamento e foi com esse sentimento de esperança que embarcou para o Brasil para encontrar com o seu marido, d. Pedro I, com quem casou por procuração.


Pude conhecer muitos fatos da vida da Imperatriz e de outras figuras históricas ligadas à família dela da casa de Habsburgo e a família real portuguesa, personalidades como Napoleão Bonaparte e Maria Antonieta que, antes, eu não sabia que eram ligadas a Leopoldina.


O casamento com d. Pedro não foi nenhum mar de rosas e muitas cartas direcionadas à sua irmã, Maria Luisa, contavam as situações nada fáceis que acabava se submetendo por causa da sua fé no matrimônio. Mas é impossível negar a sua influência em um fato de extrema importância para nós, brasileiros, a independência do nosso país.


Leopoldina era uma pessoa culta, gostava de ler, de pintar e de caminhadas pela natureza brasileira. Teve muitos filhos, dentre eles Maria da Glória, que foi Rainha de Portugal e d. Pedro II, o mais novo dentre os herdeiros.


Além de todos os fatos, o autor selecionou fotos coloridas de muitas personalidades que foram citadas ao longo do livro, árvore genealógica da família e notas.


Eu simplesmente amei o trabalho do autor, parece que conversávamos com Leopoldina ao longo das páginas. Para aqueles que, assim como eu, amam história o livro é mais do que recomendado. Eu acho que todos os brasileiros deveriam ler e conhecer um pouco da nossa história. Se você não curte muito história, pode dar uma chance à matéria com o livro sobre a Leopoldina. Eu indico!!


Espero que tenham gostado! Até a próxima!



Com carinho,













Dados do livro:

Nome: A Biografia Íntima de Leopoldina
Autor: Marsilio Cassotti
Editora: Planeta
Páginas: 304

7 comentários:

  1. Oi Mari, não gosto de biografias mais que bom que você gostou é muito bom quando a gente pega um livro e lê ele e gosta e você sempre faz ótima resenhas bjs.

    ResponderExcluir
  2. Não entendi, entro no seu blog todos os dias e essa resenha só apareceu para mim hoje, mas está com data de 12 novembro!!!???? Agora fiquei preocupada em relação ao top comentarista.
    Mas enfim vamos ao comentário: assim como você sempre gostei de história e posso acrescentar literatura =) fica fascinada nas aulas. Até hoje lembro dos professores dessas matérias!!! Queria ter mantido contato!!!
    Que maximo você ter conseguido ler sobre alguém que te chamou atenção tão cedo, desde menina, parabéns pelo foco e determinação. Alguns personagens históricos também chamaram minha atenção mas não li nenhum livro sobre eles ainda.
    Nossa que interessante a irmã dela era casada com Napoleão, não sabia!!!
    Lendo sua resenha lembrei do livro 1808 que li esse ano e com certeza é muito interessante acompanhar como eram os dias dos nossos Reis, rainhas, príncipes e princesas e perceber que não existia só glamour, pelo contrario eles passavam por coisas bem difíceis e precisavam tomar decisões e aceitar situações que só os líderes precisam passar.
    Com certeza os Brasileiros deveriam conhecer melhor suas origens e formação política do país, mas infelizmente nas escolas essa matéria não é transmitida de forma interessante e poucos são os que aprendem a gostar de estudá-la assim como nós.
    Amei saber suas impressões sobre a leitura, parabéns e obrigada por compartilhar um pouco dela com seus leitores. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline!!! A resenha foi publicada aqui dia 12, mas tive que tirar do ar porque houve um problema com a letra que estava muito pequenininha. Ao publicar novamente foi com a data que ela estava programada a princípio (12/11), não se preocupe!!

      Beijinhos!

      Excluir
  3. eu gosto desses livros de época neles podemos vê o Brasil com é o caso do livro com outros olhos e é sempre bom ler um romance de época nacional

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nenhuma bibliografia, gosto mesmo e história de romances, e não curto muito livro de época, mas tenho tentado quebra um pouco esse estereotipo, e tentado me aventura em novos gêneros, quem sabe dou uma chance para esse livro mais para frente.

    ResponderExcluir
  5. Nunca gostei muito de história ,mas essa figura histórica sempre chamou minha atenção por algum motivo.
    Já ouvi falar sobre o livro ,e apesar de eu fugir de biografias ,gostaria muito de ler essa.

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.