quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Resenha - Justiça secreta

Olá amigos!

Bom dia!

Hoje a resenha é de um livro de ação! Vocês gostam de livros de ação? Explosões, intrigas, morte, bandidos e mocinhos e bastante tiro!

O livro se chama Justiça Secreta, do autor britânico Jack Higgins!

O que diz o Skoob:

É noite em Nova York. O presidente dos Estados Unidos tem um jantar marcado com um velho amigo, o que mobiliza todo o gabinete presidencial. Em um prédio do outro lado da rua, um estranho consegue neutralizar a segurança e posiciona-se em uma janela com o objetivo de colocar o presidente na mira do rifle. Felizmente, o atentado contra o homem mais poderoso do mundo não ocorre conforme o planejado. Mas isso é só o começo. Ao que parece, uma perigosa rede de terroristas está se formando com uma única finalidade: espalhar o medo por todo o planeta. Agora, caberá a Sean Dillon, da Inteligência britânica, e a Blake Johnson, principal agente secreto da Casa Branca, rastrear a identidade e os métodos dessa terrível organização secreta

Minhas impressões:

Inicialmente, o nome do autor é apenas um pseudônimo. Jack Higgins não é o se nome verdadeiro. O autor britânico se chama Harry Patterson e nasceu na Inglaterra. Ainda criança foi morar em Belfast, Irlanda do Norte já que seus pais se mudaram para lá.

Talvez o fato de ter morado numa cidade recheada de conflitos político-religiosos tenha feito com que boa parte de sua obra tenha recebido essa influência. Isso porque o autor escreve muito sobre a Irlanda do Norte e sobre os problemas que o IRA causou naquele país durante todo o século XX.

Foto do autor na contracapa. Parece motoqueiro com essa jaqueta.

Esse foi o primeiro romance dele que eu li, mas admito que já vi diversos livros de Jack Higgins nas livrarias. Já vi mais de 10 livros dele. E parece-me que todos tem a mesma capa, sempre num fundo preto e com cores vibrantes e o K do Jack esfacelando. É assim com "A morte chega à noite", "A conexão Casa Branca" e "No limite do perigo". Todos esses foram lançados pela Editora Record.

Além das capas serem feitas no mesmo estilo há, ainda, outra coisa em comum entre eles: o personagem principal: Séan Dillon. O autor criou o espião Séan Dillon, que seria um egresso do IRA, Exército Repúblicano Irlandês, grupo separatista rebelde que atuou na República da Irlanda de 1922 a 1995. 

Em mais de 10 livros o autor colocou Séan Dillon como personagem principal. Antes bandido, agora mocinho, Séan Dillon trabalha para a inteligência britânica e sempre consegue proteger o mundo das tragédias que os terroristas querem impor. Soa um pouco traidor absurdo um irlandês, ex-IRA se debandar para o lado da inteligência britânica. Descobrindo um pouco do personagem já considero tal fato meio estranho. Nunca Dificilmente os membros de algum grupo como o IRA ou qualquer outro, ETA e outros terroristas iriam aceitar o fato de que um dos seus membros fosse trabalhar justamente com o inimigo. Com toda a certeza, seria caso de morte certa.


Mas tratamos de um livro de ação, onde tudo é permitido e a história é romanceada.

O livro começa com a falha de um atentado contra o presidente dos EUA. O agente Blake Johnson consegue impedir que alguém atire contra o presidente.

Após tentar descobrir a motivação do ataque e também quem seria o responsável, Blake se une a Séan Dillon e é aí que ele entra na história, ajudando o agente secreto norte-americano a evitar maiores problemas.

O vilão é Josef Belov, vindo do leste europeu e agora em conluio com terroristas muçulmanos. Infelizmente, parece que tudo acontece rápido demais e o vilão nem é tão aprofundado assim. Não consegui perceber o que o levou até ser alguém pronto a ameaçar a ordem constituída dessa maneira. Pareceu apenas maldade mesmo e não um histórico de violência, doença mental ou ideologia.

Eu gosto de romances desse tipo. Não chega a ser uma aula de política internacional, como as obras de Frederick Forsyth, mas é possível ver alguns desdobramentos de impasses diplomáticos e maquinações entre integrantes de governos. Tive um bom divertimento ao lê-lo e a leitura é agradável e leve, muito embora houvessem os detalhes citados acima. Por isso leva só 4 estrelas. Mas mesmo assim,  recomendo para quem gosta de ação.

Não posso deixar de mencionar que o final é bem previsível, muito embora eu não fale absolutamente nada acerca do conteúdo do final, mas mesmo assim, achei parecido com  que James Bond faria

Minha mesa, minha luminária e meu livro.
Em 15 capítulos que se passam em Londres, Belfast, Washington e Bagdá o livro traz um misto de James Bond com Duro de Matar. Uma reunião bem interessante para quem curte livros do gênero.

Agora que eu conheço o agente Séan Dillon e sei que ele está em diversos livros, com toda a certeza desse universo vou ler os outros livros dele. Quem sabe ele não explica mais sobre como ele deixou o IRA para fazer parte da inteligência britânica. Admito que isso é estranho e me deixou intrigado.

Até a próxima!







Dados do livro:

Nome: Justiça secreta
Autor: Jack Higgins
Editora: Record
Páginas: 288





19 comentários:

  1. Apesar de não conhecer esse livro, e não curti muito esse tipo de gênero literário, a história do livro me chamou bastante atenção e me deixou bastante curiosa, quem sabe mais para frente não resolvo ler. Além do mais a sua resenha ficou muito boa, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Marcos, eu não conhecia o livro, mas me interessei por partes. Gostei muito da proposta de ação no gênero do livro, da falha descoberta no assassinato e das investigações, claro. Mas, fatos que me agradaram de muitas formas foram a influência política e a repetição do personagem. Indeciso sobre Justiça Secreta.

    ResponderExcluir
  3. Oi! ^^
    Eu ainda não li nada do autor. Eu gosto de livros com ação, mas tantas intrigas, tiros, impasses diplomáticos, terroristas... não faz muito meu gênero. Muito realista pro meu gosto. Prefiro um livro que pareça real, mas que me faça esquecer da realidade.

    Beijussss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante da resenha, o livro parece ótimo!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Marcos
    Desconhecia a obra, mas a premissa me agrada muito, pois tem terroristas, e assim como você também curto romances desse tipo. Acho que só lendo para conseguir imaginar o final..rs
    Gostei muito de conhecer. Uma ótima dica.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha está muito boa, eu não conhecia esse livro, mas lendo sua resenha acredito que irei gostar da história pois adoro livros que tenham ação.

    ResponderExcluir
  7. :O Que demais esse enredo! Adoro livros que abordam conflitos políticos e têm esse lado misterioso, que te faz suspeitar de todos os personagens, hahah. Parece ser uma história bem intrigante e que eu leria sem problemas, pois amo ação ♥ Amei sua resenha e cada comentário que você pôs nela. Eu ri na parte "Parece motoqueiro com essa jaqueta." hahah :3

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  8. Olá Marcos, estou inserindo o gênero na lista e pegando referências. Espero que Justiça Secreta e essa capa maravilhosa me ajudem :)

    ResponderExcluir
  9. Oi Marcos! Eu não conhecia o livro, mas também não me interessei muito :( Não curto tanto suspense e a única coisa que me chamaria a atenção no livro seria a parte do "bandido e da mocinha" hahaha Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Gostei bastante da resenha, me deixou até interessada. Fiquei surpresa pois normalmente não me interesso por esse gênero. Lembro também de ver muitos livros do autor nas livrarias, mas nunca tinha visto alguém falar de seus livros até agora

    ResponderExcluir
  11. Bacana a evolução de antes bandido e agora mocinho protetor, acho bem legal, eu não conhecia o livro nem rodando a internet toda, mais gostei por ser suspense.

    ResponderExcluir
  12. Marcos confesso que atualmente leio poucos livros desse estilo, mas sempre que dá vontade procuro algum que chame minha atenção. Achei interessante suas observações sobre a vida do autor e o que poderia ter levado ele a decidir escrever tal estilo, essas informações enriqueceram seu texto e despertou minha curiosidade em continuar lendo seu texto, parabéns!!!
    Confesso que as capas não são nada convidativas e não chamaria minha atenção em uma livraria. Acredito que se ele tivesse um capista melhor ele venderia mais para pessoas que ainda não conhecem seu trabalho (sou fã de Belas capas).
    Gostei da sua opinião sobre a diferença do real e da ficção encontrada na história, além disso você demonstrou conhecimento político sobre os conflitos da República da Irlanda (confesso que não sou muito conhecedora desses assuntos). Muito legal você citar alguns filmes que seguem o estilo do livro, assim pessoas leigas no assunto podem ter uma referência.
    Enfim fico feliz que vc tenha gostado da leitura e que deseje ler mais livros do autor. Sucesso na busca dos mesmos.
    Ótimo mês de novembro para vc!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  13. Olá!!
    Não conhecia o livro nem o autor. Gostei muito do enredo, da tentativa de atentado ao presidente e a capa é linda. Obrigada pela resenha.
    Abraço e sucesso!!

    ResponderExcluir
  14. Olá Marcos, tudo bem??
    Bom eu li sua resenha e confesso que não entendi muita coisa, não leio livros dessa temática, porque não curto e nunca entendo muita coisa... essa coisa de Irã, ETA e tudo mais me deixa completamente confusa e pra mim a leitura se tornaria maçante, mas pelo que vi você gosta e muito, porque apesar das 4 estrelas sua resenha foi empolgante... xero!

    ResponderExcluir
  15. Oi Marcos, tudo bem?
    Não conhecia esse livro, mas vou ficar atenta nas livrarias, ainda mais pelas capas serem parecidas, não deve ser difícil achar. Também achei bem estranho essa coisa do cara sair de um grupo terrorista e entrar para a inteligência britânica. O mais lógico seria o Ira acabar com eles muitos antes dele ameaçar desertar, kkkkk
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá Marcos tudo bem, eu gosto de livros com esse gênero, mas não é sempre que eles são convidativos, por isso gosto de ler resenhas antes de comprar, a premissa do livro parece bem interessante, e sua resenha me instigou a conhecer a escrita desse autor. Boa dica.
    Bjks

    ResponderExcluir
  17. Oi Marcos, tudo bom?
    Me lembro do nome desse autor, mas nunca li nada dele. Eu gosto de histórias como essa, que falam sobre grupos separatistas com um leve toque de história internacional. Fiquei curiosa também com o passado do protagonista e como isso influenciou o que ele é.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Marcos, tudo bem?

    Acho que para quem curte James Bond e Duro de Matar, o livro deve ser uma boa pedida. Não conhecia o autor. Até gosto de livros de ação com policial, mas não sei se leria por agora. Pena que o final é previsível. Mas pelo menos foi uma boa leitura.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir

  19. Oi Marcos, tudo bem?

    Eu adoro ação, tanto filmes quanto livros, ainda não conhecia esse livro e nem o autor, mas parece ser ótimo. Faz tempo que eu não leio livros de ação, porque o tempo não esta ajudando, mas com certeza vou deixar essa dica anotada, é uma pena que o final seja previsível, mas não tirou minha curiosidade.

    Beijos,,
    http://www.lendoeesmaltando.com/

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.