quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Resenha - Ramsés - o filho da luz

Olá amigos!

Bom dia! Quinta-feira, indo para o fim de semana!

E para começar o dia, mais uma resenha!

Hoje, o tema é sobre o Egito antigo! Quem não gosta de histórias sobre o Egito dos faraós? Essa civilização antiga, cheia de mistérios exerce em todos nós um fascínio, não é mesmo?

Mas admito que o livro deixou a desejar.

Vamos a resenha.

O que diz a contracapa:


Ramsés é um jovem adolescente que anseia secretamente

 substituir o pai no trono do Egito. 

Toda a sua trajetória de lutas, poder e reconhecimento encontra-se 

nos volumes seguintes da série.

O que eu achei:

A minha história com este livro Ramsés começa há muito tempo. Lá em 2006. Nesse ano, meu irmão já estava na faculdade e começou a fazer estágio com um professor. E o professor tinha na estante os cinco volumes desta série escrita pelo egiptólogo Christian Jacq, que é professor de história do Egito.

Na oportunidade, meu irmão pediu para o professor os livros e ele os leu todos. Confesso que não tive vontade de ler naquela época, muito embora a capa me fosse atraente.
Passados alguns anos, eu estava com a Mari, a dona do Cantinho numa livraria em dezembro de 2012 e eu fiz uma pequena bobagem: comprei por impulso. Sim, eu comprei os três primeiros livros da série por impulso. Estávamos numa livraria e eu acabei me empolgando. Sim, podem me julgar. Qual leitor que nunca comprou por impulso? Se eu me arrependi? Mas é claro que sim! Até porque o preço era salgado demais. Cada volume me custou a enorme quantia de R$ 45,00 (quarenta e cinco Reais)! Um absurdo de caro! E a livraria também não ajudava, pois só tinham os três primeiros volumes e eles não tinham os dois últimos que completavam a série. 

Passei dois anos inteiros sem ler esses livros e esse ano de 2015, finalmente, iniciei a leitura do primeiro livro da série. Comecei animado, achando que o livro seria fidedigno a história e mostrando os elementos da cultura, tradições e mistérios egípcios. Ledo engano.

Já de início o livro surpreende pela lenga-lenga e pela moleza com que o autor conta a história. Tudo é repetitivo e monótono. Levei quase um mês para terminar. Talvez a baixa velocidade da história tinha influenciado a minha falta de vontade de ler a obra. Christian Jacq é um professor de faculdade de história do Egito, não romancista. O modo como ele conduz a história é pouco encantador. 

Logo de início, vê-se que Ramsés é o segundo filho e seu irmão mais velho é o herdeiro ao trono do Egito e o pai deles, o Faraó Seti I faz um teste para o filho mais novo, colocando-o para domar um touro bravio, o que parece ser um início espetacular da história, mas para por aí. Fui pesquisar a respeito disso e vi que isso era tradição no Egito antigo para ritual de passagem para a vida atulta. Entretanto, apenas na classe das famílias dos soldados, não na dos nobres e dos reis. Uma incongruência histórica com um livro cujo autor é diplomado em história daquele povo. Que triste.


Mapa para ajudar o leitor a se situar. 

A partir de então só o que se vê é o Faraó do Egito colocando Ramsés como seu sucessor e a inveja do seu irmão mais velho Chenar para tentar retomar o antigo posto de herdeiro. Os amigos de Ramsés, que são Moisés, o escriba e o encantador de cobras não auxiliam em nada para a trama. Depois que eles estudam juntos, aparecem eventualmente na trama. Desses amigos, o que mais é citado é o escriba, que passa a trabalhar com Ramsés.
Basicamente, nesse primeiro livro é contada o final da infância e a juventude de Ramsés. Nada é bem situado e você se perde para saber onde começa a idade adulta do personagem principal. No meio desse enredo que trata da tentativa do irmão mais velho de voltar a ter o status de herdeiro, o autor coloca um romance, na verdade um triângulo amoroso entre Ramsés, Nefertari e a jovem rica Iset, a Bela.

Foto do autor na orelha do livro
Até a gostosa dama Iset, a Bela era disputada pelos irmãos. Parece aquele tipo de briga entre criança pequena, principalmente irmãos que disputam absolutamente tudo. Muito chato.

Sabe-se que Ramsés II foi um dos Faraós que mais fez o Egito prosperar e que reinou por longos e longos anos. Isso tudo é histórico. O autor deveria ter incluído mais história do que passagens fictícias na sua trama. O grande erro de Christian Jacq foi achar que seria romancista. E ele é historiador. Eu comecei a ler o segundo volume, mas abandonei-o por ser ainda mais parado do que o primeiro volume. Não vou terminá-lo. Não começarei o terceiro. E não comprarei os quartos e quintos volumes. Talvez eu os compre, se eu os encontrar numa promoção a R$ 10,00 para compensar o extremoso gasto com os três primeiros.

Aliás, se algum leitor do blog quiser comprar os meus três livros, estou disposto a ouvir ofertas!

Como sei que o autor é um egiptólogo de renome mundial, irei comprar a nova (lançada em 2008, ela nem é tão nova assim) série de livros dele, que se chama "A Rainha da Liberdade" que trata da história da Rainha Ahhotep I, que reinou durante a 17ª dinastia. Espero que ele use menos ficção e mais história para contar sobre ela, já que tudo relacionado ao Egito antigo é bem carregado de história.  

Muitas pessoas ao redor do mundo podem ter gostado, afinal de contas a série Ramsés é ainda best-seller. Eu não curti, fazer o quê. Segue a vida e vamos em frente, pois temos muitos livros bons ainda para ler e descobrir.

Grande abraço e até a próxima!








Dados do livro:

Nome: Ramsés - o filho da luz
Autor: Christian Jacq
Editora: Record
Páginas: 392

16 comentários:

  1. Bom pela sua resenha o livro não me chamou muito atenção, mas você escreve muito bem.Parabéns pelo blog, você é uma ótima resenhista.(Ps eu quero marcadores da Bienal.)
    lendoeresenhandooficial@outlook.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. exceto pelo fato que é um HOMEM que resenhou e não uma mulher. Pedir é fácil, mas ler o post...

      Excluir
  2. Olá! Poxa, quando vi o nome e a capa do livro fiquei super empolgada. Mas, depois da resenha, fiquei sem vontade de ler...Tinha tudo para ser um bom livro! Parabéns pela resenha. Abraços!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcos, tudo bem?

    Não conhecia o livro, mas, apesar de gostar de história, acho que o livro não é para mim. Prefiro um panorama histórico mais contemporâneo, tipo século XX, sabe? =D Pena que você não gostou tanto do livro =( Mas adorei a sua sinceridade. Nem sempre conseguimos gostar de tudo.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  4. A capa do livro é linda! Mas depois de ler a resenha fiquei indecisa. Tenho muitos na fila de leitura, mas fiquei com a curiosidade de ler, pelo menos o comecinho. (Ps: eu quero marcadores da bienal!)
    meninadalivraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. A capa do livro é linda! Mas depois da resenha não sei. Tenho mts livros na fila de leitura, mas vou colocar esse também só por curiosidade! Ps: quero marcadores da bienal
    meninadalivraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Gostei, muito da sua resenha me dispertou desejo para querer ler ,ainda mais que se trata do egito , achei a capa linda o titulo pouco diferente , e achei bacana o livro tem mapa ilustrado meio das paginas ,deixou mais curiosidade conhecer ..
    Ps : Quero Ganhar os Marcadores Da Bienal
    Caroline_raquel@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Pera, 45 reais CADA??? É de ouro esse livro? Que prejuízo hein hahaha :(
    Eu gosto de livros sobre outras culturas e tudo mais, mas confesso que esse eu não leria. Não me convenceu, sabe?
    Gostei muito da sua resenha, parabéns! E espero que você venda os livros, rs.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá Marco tudo bem, adoro a sua sinceridade em suas resenhas, uma vez li um livro sobre menções sobre o Egito e quase morri com tanta falta de pesquisa por parte do autor, enfim... Esse livro não seria uma das minha leituras no momento, ainda mais com seu desabafo sobre ele. Mas sabe o que acho válido nessas leituras é a o amadurecimento das criticas positivas e negativas, levo isso como um aprendizado.
    Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação

    ResponderExcluir
  9. Marcos meu filho 45 reais em cada livro e ainda por impulso... não mesmo... eu compro por impulso, mas só quando tem promoção, porque exagero na quantidade de livros rs.... mas faz parte né... da vida de leitor... ainda acho que terá um momento em que você ainda vai ler os livros, talvez esse ainda não tenha sido o momento de continuar com a leitura.... eu curto as histórias egípcias, mas eu prefiro ler com uma outra forma de narrativa... que possa me atrair mais e não causar um futuro abandono... que pena... que você abandonou o segundo.. Xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oláá
    Parece ser uma leitura bem diferente do que estou acostumada, uma pena que você não curtiu, também acho que não seria o ideal para mim, bela resenha.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Marcos, tudo bem?
    Esse é um livro que eu não leria por achar que seria algo histórico demais, e não gosto muito de livros históricos, prefiro os fictícios, e quando é para ler algo real, pego um livro de história e verdade, rs. Mas essa mistura de ficção e realidade, e incongruências que mostram falhas na pesquisa, irritam mesmo. Sem falar que eu também me irritaria com esses irmão, parecem crianças!
    Então, esse é um livro que passo longe, rs.
    Adorei a resenha, e sua colocação sincera dos pontos
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Nossa, se eu fosse você não sairia comprando a outra série do autor não, pegaria em uma livraria e pelo menos começaria a ler pra saber se me agradaria... porque fala sério, você pagou uma fortuna nesses livros pra ler algo monótono, repetitivo e cheio de ficção, escrito por alguém que é um excelente historiador, mas não deu certo escrevendo um romance. Não leria essa série não.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Olá Marcos, bem legal sua resenha, bem explicado o livro. Mas esse é um livro que eu não me interesso muito :( Apesar de ele ter um tema bem legal sobre mitologias egípcias ele é muito história para mim! Pois é e a leitura fica mais difícil, quando o autor tenta criar uma história que não dá certo. Escrever romances bons, não é para qualquer um.
    Eu estou lendo um livro com esse tema, da autora Colleen Houck - O Despertar do Príncipe. Você conhece? Esse é muito bommm!! Se você tiver a oportunidade leia esse, quem sabe você gosta!
    Achei muito legal da sua parte, expressar sua opnião sincera sobre o livro, espero que você consiga vende-los logo!!
    PS: Quero marcadores da bienal
    email: aventurasnomundoliterario@gmail.com
    http://aventurasnomundoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Marcos, eu AMO mitologia! Muito, muito mesmo! Ou seja, lerei esse livro com certeza. Sua resenha está perfeita.
    Um abraço!
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Marcos, tudo bem?

    Que pena que o livro não foi o que você esperava. Quando eu li o título me interessei pela historia, mas ao ler a resenha identifiquei os pontos onde a história te decepcionou. Uma pena, pois tinha ficado interessada em ler.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.