segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Resenha - Quem viu primeiro o Cristo ressuscitado? Maria Madalena ou a Virgem Maria? A Tradição dá a resposta

Olá amigos do Cantinho!

Tudo bem? Um bom feriado a todos! É muito bom começar a semana com feriado, sem absolutamente nada pra fazer! Comecemos, então!

Depois de mais de 30 dias longe de vocês graças a um projeto pessoal (que eu expliquei pra vocês na última postagem minha ainda em julho), finalmente eu estou de volta!

E volto com toda a força! Tenho resenhas o bastante para postar aqui no blog.

Hoje a resenha é de um livro cedido pela querida Editora NovaTerra em sede da parceria firmada pelo blog. O livro tem um nome comprido e se chama: "Quem viu primeiro o Cristo Ressuscitado? Maria Madalena ou a Virgem Maria? A Tradição dá a resposta", do autor Dom Rafael Maria Francisco da Silva.

Quem acompanha o blog sabe que eu sou Católico Apostólico Romano e já deve ter visto aqui as inúmeras resenhas que eu faço sobre livros religiosos. Esse é mais um deles.

O que diz a contracapa:


A Tradição da Igreja, digo, os Santos Padres e autores antigos da espiritualidade cristã nunca se conformaram do silêncio dos Evangelhos sobre, a não participação da Virgem Maria no evento pascal. A Igreja sempre se deteve em um só aspecto de Maria na Paixão de Cristo: a dor. Ora, esta lacuna, sempre questionada, mas não muito conhecida, foi motivo de debates acirrados por teólogos do século XX. Ganhou nova roupagem quando o Papa João Paulo II em 1996 retoma o debate com tom de piedade filial. O livro procura entender o porquê desse silêncio e, sua fonte de de compreensão são os autores do século IV até os nossos dias.

O que eu achei:

Para mim, religião é algo muitíssimo importante. Tanto é que o nome religião deriva do latim e significa "religar", voltar a conectar o ser humano com o divino. Assim, religião não deve ser enxergada apenas como parte periférica da vida, mas estar no centro das atividades do ser humano. 
Extensa bibliografia 
Que me perdoem os que não creem, mas é impossível passar uma vida inteira sem pensar no sagrado, sem ter uma pequena dúvida acerca da origem da vida e de onde vamos após findar nossa participação nessa terra.

Já não é novidade para ninguém que eu professo a fé Católica e acredito firmemente que religião também deve ser estudada. Como buscar conhecimento é tão difundido hoje para a formação humana, porque não buscar aprofundamento também no campo religioso? Ainda mais quando se trata de uma religião milenar como a Igreja Católica, cheia de tradições belas, com notáveis santos e doutores que esmiuçaram tanto a fé como a doutrina a fim de nos legar essa rica experiência. 

Então, vem os livros da Editora NovaTerra, que me enchem de alegria. Muito embora tal editora trabalhe com outros livros, são os livros católicos lançados pela NovaTerra que me encantam. Já fiz resenha aqui no Cantinho de diversos títulos religiosos desta editora parceira.

A nossa política do blog é de nunca e em nenhuma hipótese revelar spoiler ou contar o final de alguma história ou seqüência. E se o título do livro é justamente a indagação de quem teria visto Jesus no Domingo de Páscoa, nós do Cantinho nos reservamos a não tratar na resenha sobre a resposta, deixando a curiosidade do leitor falar mais alto. E até mesmo para que nutra no intimo do leitor a vontade de adquirir o livro da editora e esclarecer a história. Mas eu tenho que admitir que a discussão permaneceu na minha mente por um tempo e me fez pensar muito graças a enorme prova trazida no livro.

O livro de hoje vem tratar de um tema pouquíssimo explorado: após ter o Cristo morrido no lenho da cruz e ter Ressuscitado no Domingo, quem teria visto o Filho em primeiro lugar: sua mãe ou a seguidora convertida? A Ressurreição é o centro da nossa fé e saber que Jesus voltou da morte é ponto central daquilo que nós acreditamos, tanto é que o Domingo de Páscoa é a celebração mais importante dentro do Cristianismo. Mas e depois de vencer a morte: quem viu Jesus primeiro?

A Bíblia Sagrada faz um comentário pequeno, mostrando que foi Maria Madalena. Naquela passagem, quando Jesus aparece para ela, a própria discípula não o reconhece, achando que era o jardineiro. E a proposta do livro é justamente nos fazer pensar sobre outros ensinamentos que não estão escritos nos Livros Santos.

Não é que o autor queira negar os ensinamentos das Sagradas Escrituras, não é isso! Ocorre que na Bíblia Sagrada não é a única fonte de conhecimento, havendo outras fontes tão críveis de informação para sabermos o que acontecia na época em que o verdadeiro Deus pisou nessa terra. Para aqueles desavisados que eventualmente me falam: "Mas não está escrito na Bíblia, então não tem valor", eu respondo prontamente: "Mas quem foi que disse que tudo tem que estar escrito na Bíblia?" Por séculos a fio a Igreja Católica estudou a Bíblia com seus Papas, seus doutores, seus historiadores e criou-se através dos tempos a Tradição Apostólica, que explica muita coisa havida naquele tempo. E o que tais autores sugerem através de seus estudos? Que foi mesmo Maria Madalena quem O viu antes ou foi Maria Santíssima? Não vou revelar aqui o sentido das provas que o autor reuniu no livro. 

Por falar no autor, percebe-se o faro acadêmico do autor. Citando todas as fontes de pesquisa e mostrando onde encontrou cada informação, o livro torna-se valiosíssimo. A obra começa com uma breve explanação de quem teria visto o Cristo em princípio logo no alvorecer do domingo. Nessas cinqüenta primeiras páginas o autor cuida de trazer os motivos pelos quais a Bíblia é omissa, além de mostrar o dilema de quem teria visto o Ressuscitado antes.
Arte deixa o livro mais bonito para ler
Após isso, o autor divide o livro em duas partes: Oriente e Ocidente. Nessa parte, ele começa pelo Oriente. Traz todos os estudiosos desde os primeiros séculos que já trataram sobre o assunto de quem viu Jesus ressuscitado primeiro e traz as citações das obras dos antigos até chegar aos dias atuais. Depois, Dom Rafael Maria faz a mesma coisa com os estudiosos do Ocidente. Então, há citações de São João Crisóstomo, Padre Anchieta, Santo Antônio de Pádua, Santa Catarina de Siena, passando por João Paulo II (já no século XX) e de tantos outros letrados da Igreja Católica.Garanto que muita gente de peso já deu sua opinião sobre isso. Eu li todas.

Fiquei especialmente contente quando vi também no livro a menção ao nome da Beata Anna Katharina Emmerich, freira cujo livro também editado pela Editora NovaTerra eu resenhei no início desse ano. Quem quiser conferir a minha resenha, basta clicar aqui. De novo, eu preciso congratular: percebam como o livro foi feito de maneira cuidadosa e minuciosa pelo autor: ele cuidou de estudar cada passagem de antigos autores vindos do Oriente e que viveram no Ocidente sobre o tema. Só mesmo sendo um historiador de notória qualidade para fazer semelhante trabalho.

Outra coisa chamou a minha atenção durante a leitura do livro: o autor Dom Rafael Maria procura não dar sua opinião pessoal sobre quem teria sido a primeira contemplada com a honra de ver o Ressuscitado em primeiro lugar. Há a vontade do autor de trazer informações de autores antigos, listando a opinião deles e não a opinião pessoal dele. E é aí que eu relacionei o livro com pesquisa acadêmica. Estando eu desejoso de ingressar num programa de mestrado, ouvi de um amigo que cursa mestrado em Direito a seguinte frase: "A Academia não quer sua opinião pessoal, em princípio, mas estudiosos que saibam organizar argumentos e alegações e que saibam colocar isso tudo no papel." 
O autor e o Papa

Impossível não achar belo o livro editado pela NovaTerra: assim como as outras obras deles, esse livro também vem com gravuras de obras de arte entre suas páginas, tornando muito mais bonita a edição. 

Para finalizar, recomendo muitíssimo para quem ficou curioso e quiser certificar-se de quem teria visto Jesus ressuscitado em primeiro lugar. 

Até a próxima,









Dados do livro:

Nome: Quem viu primeiro o Cristo Ressuscitado? Maria Madalena ou a Virgem Maria? A Tradição dá a resposta
Autor: Dom Rafael Maria Francisco da Silva
Editora: NovaTerra
Páginas: 238

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.