segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Resenha - O chamado do cuco

Olá amigos do Cantinho!

Bom dia!

Nesta segunda-feira iremos conversar sobre um livro de Robert Galbraith, mais conhecido como J.K. Rowling! É o tão falado "O chamado do Cuco"

Vamos lá!

O que diz o Skoob:


O Chamado do Cuco - Quando uma modelo problemática cai para a morte de uma varanda coberta de neve, presume-se que ela tenha cometido suicídio. No entanto, seu irmão tem suas dúvidas e decide chamar o detetive particular Cormoran Strike para investigar o caso.

Strike é um veterano de guerra, ferido física e psicologicamente, e sua vida está em desordem. O caso lhe garante uma sobrevida financeira, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no mundo complexo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas e mais perto do perigo ele chega.

Um emocionante mistério mergulhado na atmosfera de Londres, das abafadas ruas de Mayfair e bares clandestinos do East End para a agitação do Soho. O chamado do Cuco é um livro maravilhoso. Apresentando Cormoran Strike, este é um romance policial clássico na tradição de P.D. James e Ruth Rendell, e marca o início de uma série única de mistérios.
O que eu achei:

Eu tenho um amor que me dá livros de presente! <3
Em primeiro lugar, uma curiosidade: J.K. Rowling, a mundialmente famosa autora de Harry Potter decidiu escrever um livro. Para testar o mercado editorial britânico e mostrar como ele é podre e só se interessa por nomes, ela fez uma pegadinha do Mallandro: assinou a obra como Robert Galbraith e enviou os protótipos para várias editoras. Todas as grandes editoras recusaram. Uma editora pequenina, entretanto, aceitou editar e lançar esse livro. Quando já estava tudo certo, ela revelou ao mundo que ela era a autora do livro e que Robert Galbraith era apenas um pseudônimo. É claro que toda Londres ficou em polvorosa (Alguém ainda usa essa palavra? Que baita termo de vó, não é mesmo?) e o livro, obviamente, foi um sucesso de vendas.

Se ela tivesse contatado as grandes editoras mostrando seu trabalho como a própria J.K. Rowling, seria recusada? Depois desse teste, até eu acho que ela não iria receber um não!

A história gira em torno do detetive Cormoran Strike, ex combatente de guerra, que não tem uma das pernas, perdidas num combate, graças a uma bomba. Sua vida está desmoronando. Acabou de divorciar-se e não tem dinheiro para absolutamente nada. O aluguel de sua sala como detetive está atrasado e por ter de sair de casa, ele passa suas noites nesse escritório.

Até que entra o irmão da modelo conhecida no mundo inteiro por Lula Landry, procurando seus serviços. É que a essa tal modelo acabou de morrer. Lula Landry foi apelidada por um amigo com um nome um tanto curioso: Cuco. Essa informação só chega ao leitor no meio do livro, quando a leitura já está bem avançada. E aí justifica-se o título do livro.
Seriam os pseudônimos máscaras?

Os fatos mostram que ela se jogou da janela do apartamento onde vivia. Mas a família não crê na hipótese do suicídio, já que ela era uma menina extremamente feliz. Suspeitando-se tratar de homicídio, Cormoran Strike é contratado para investigar o que realmente aconteceu.

Com esse dinheiro que acabou de entrar, ele contrata a sua ajudante, Robin Ellacott, que serve além de auxiliar, como confidente e amiga.

A princípio, o namorado da modelo tinha sido citado como um dos envolvidos na provável morte. Só que o ator Evan Duffield mostrou que seu álibi era realmente verdadeiro durante as investigações, o que deu mais trabalho para o detetive Strike.

A parte boa do livro e que por mim foi a mais esperada, ficou por conta do relacionamento entre o detetive e sua assistente, Robin Ellacott. A interação dos dois é divertida e nos deixa com vontade de saber o que vai acontecer! A cena do provador, em que simulam ser um casal é simplesmente deliciosa e vale a pena pelo livro todo. Muito embora ela já seja compromissada, torci por um final feliz entre eles. 

Ela até o ajudou em seu trabalho mesmo não estando em horário de serviço. Achei isso muito bacana ao ler o livro.

Não sei se confundi as coisas ao ler o livro e se o entendimento deles era apenas de chefe e funcionária, mas percebi que a autora combinou muito bem os dois personagens. Se eu for ler a continuação, vou torcer para que eles fiquem juntos.

Apesar de sua assistente ser mulher, é provável que a autora tenha se inspirado na parceria entre Sherlock Holmes e Dr. John Watson de Sir Arthur Conan Doyle, pela cumplicidade e entrosamento entre eles.

Trechinho
Mas o livro é mais um romance policial no mercado. Nada o diferencia e o faz destacar perante outros existentes nas prateleiras das livrarias. Não chega a ser um thriller, já que apenas há uma morte envolvida e há pouquíssimas cenas de ação dentro da narrativa.

J.K. Rowling se destacou em 2012 ao lançar seu romance adulto, Morte súbita. Naquele livro, cuidou de falar sobre discriminação e lançar um drama poderoso que faz uma enorme crítica social. Achei-o incrivelmente bem escrito e seu drama conseguiu me atingir de verdade. Peguei por empréstimo de uma amiga e comecei a fazer propaganda boca a boca do Morte súbita, de tão surpreendente que foi.


Não foi uma boa idéia da J.K. Rowling se enveredar para os romances policiais. Em verdade, "O chamado do cuco" foi mais do mesmo. Não se vê no livro uma novidade nesse gênero ou muita inteligência. A respeito disso, tem-se que a descoberta do assassino consegue ser tão absurda, quase uma confissão, seguida por uma luta que parece ser esquisitíssima. Quem leu o livro sabe o que estou escrevendo nesse momento. Ora, como um ex combatente de guerra, ainda que mutilado ter tanta dificuldade numa briga, ainda que para conter um adversário? E um adversário muito menor do que ele. Grande furada. Ponto negativo pra autora.
Meu exemplar!


A verdade é que a J.K. é realmente boa com fantasias. Apenas fantasias. Quer um conselho, J.K.? Deixe os livros policiais para quem sabe: Sidney Sheldon, Frederick Forsyth e Agatha Christie. Você é simplesmente espetacular com livros que fazem voar a imaginação. Então, fique onde está! A mesma coisa seria pedir para o Stephen King escrever contos infantis! Não dá certo!



E vocês? Concordam comigo e dão o mesmo conselho para a fantástica J.K.?



Até a próxima!









Dados do livro

Nome: O chamado do Cuco
Autor: Robert Galbraith
Editora: Rocco
Páginas: 447


10 comentários:

  1. Oi Marquinho. Eu não gostei muito do livro também, é mais do mesmo né. Mas vamos ver se a continuação melhora.

    Beijos amigo
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá! Não sabia desse fato! Realmente, não apenas em Londres, mas no mundo inteiro as grandes editoras se interessam pelos grandes nomes...Olha, gosto de livros com essa temática de suspense criminal. Mesmo você falando que ela é mellhor na fantasia (amo Harry Potter!!), fiquei com vontade de ler este livro. parabéns pela resenha!

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Este livro está na minha lista já!
    Quero ler logo para poder voltar e dar minha opinião.

    Beijinhoss...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Marcos confesso que li poucas resenhas sobre esse livro, mas se ele for o que vc diz com certeza meu conselho para a autora seria o mesmo. Para quê se arriscar em um estilo diferente se ela já é tão boa com fantasia!!!???
    Não tive meu interesse despertado por esse livro ainda, mas tenho Morte súbita e pretendo ler assim que possível (pensei que conseguiria esse ano mas pelo jeito não conseguirei estou com uma pilha de prioridades na frente) enfim foi ótimo saber suas impressões sobre a leitura!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Marco tudo bem, a jogada de JK para testar o mercado foi muito inteligente. O chamado do cuco mesmo ela escrevendo foi um enredo que não me chamou atenção quando lançou. Foi como Morte Súbita que li na ânsia da curiosidade e me decepcionei. Como vc mesmo disse ela é boa para escrever fantasia, algo que poucos sabem fazer. Mas lendo sua resenha fiquei tentada a ler, para descobrir como e escrita dela é nesse gênero. PS. eu tbm falo polvorosa...
    Bjs
    Livros, a Janela da Imaginação

    ResponderExcluir
  6. Ola Marcos quando soube que o livro foi escrito pela Diva de HP, me surpreendi com o gênero afinal ela saiu de sua zona de conforto, e conforme fui lendo as resenhas acreditei que seria um sucesso, eu adoro o gênero e não vejo a hora de ler, gostei dessa combinação de suspense , romance com uma pitada de humor. Vou ler com certeza. abraços

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. A verdade é que eu li Morte Súbita e odiei tanto, mas tanto, que ainda não tive coragem de ler mais nada da J.K. Se você achou Morte Súbita surpreendente, e achou que esse não passou de mais do mesmo, tenho até medo de chegar perto dele... rs... Acho que a autora devia focar na fantasia mesmo, que é o que ela faz de bom.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Olá!!
    Bom, eu adorei O Chamado do Cuco, e adorei mais ainda O Bicho-da-Seda. E sim, a interação Cormoran + Robin nos deixa ansiando por mais! Estou empolgadíssima com o novo livro que está por vir...
    Abraços!

    www.pequenasmemoriasliterarias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Marcos, tudo bem?
    Eu ainda não li nada da JK fora HP, e admito que tenho um pouco de medo. Ela realmente é fascinante escrevendo fantasias, e não é todo mundo que consegue se aventurar em estilos tão diferentes e se sair bem. Mas gostei de saber que você curtiu Morte Súbita, acho que ele eu vou ler, mas O chamado do Cuco não sei. Sobre a pegadinha que ela fez com o mercado editorial, eu adorei, ri demais. Aqui no Brasil a Rocco comprou o direito sem saber que era ela, e lembro de ler uma entrevista de um dos dirigentes da editora falando que essa compra foi quase como ganhar na loteria, após a revelação da identidade dela. Achei legal, que aqui a mesma editora de HP tenha comprado o livro, mesmo pensando que era um autor iniciante
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá Marcos, tudo bem??
    Eu não tenho pretensão de ler esse livro... sinceramente só li a série HP e amei, tanto que li mais de uma vez, mas tudo emprestado e quero sim ter a minha coleção.... quem sabe um dia... pelo que percebi e não foi só na sua resenha a autora se perdeu um pouco na temática... então acredito que ela deva sim continuar na fantasia e fazer a nossa imaginação ir além... Xero!

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.