segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Resenha: Festim das 12 Cadeiras

Oi gente, tudo bem?
 
Depois de um tempo sem resenhas, o blog voltou a sua atividade normal! Eu e o Marcos Paulo estamos de volta para trazer para vocês as nossas opiniões sobre os livros que estão nas nossas estantes!
 
Festim das 12 cadeiras foi o primeiro livro que eu li como parceira da Editora Schoba. Só tenho elogios para a Schoba, junto com o livro a editora nos enviou um bottom lindo e um recadinho super fofo de pendurar na porta, o que mostra o capricho e carinho com os parceiros. Recebi há algum tempinho, mas como o estudo ocupou todo o meu tempo livre, só pude ler bem aos poucos, entre uma estação e outra do metrô a caminho da aula.
 
 
 
O autor, Elvis Delbagno, é um cineasta independente, o que deu um toque de particularidade à sua história de Carlão, Laerte e seus convidados. Vamos conhece-la?
 
O que diz a contracapa:
 
Festim das 12 cadeiras
Ao comprar um conjunto de 12 cadeiras russas para o jantar anual, um casal homossexual descobre um tesouro embaixo do estofado de uma delas. Com as contas bancárias transbordando, os milionários resolvem manter o tesouro na cadeira e doá-lo ao primeiro convidado que se sentar nela. No entanto, eles percebem que isso será um problema quando um dos convidados não comparece ao jantar.
Estruturando-se nas comédias de costumes, nos deparamos com uma crítica social de um humor ácido extravasante dos diálogos preconceituosos dos personagens mais bizarros que poderiam surgir numa sociedade cheia de interesses.
Narrado de forma corrida como um roteiro cinematográfico e com diversas referências à cultura popular, o autor traça uma paródia ao clássico conto russo 12 cadeiras, de Ilf and Petrov, e ao filme Festim Diabólico, de Alfred Hitchcock.

 
 
 
O que eu achei:
 
Quando li a sinopse fiquei muito curiosa para conhecer a história, parecia bem o tipo de enredo que me prenderia do início ao fim. Por outro lado, ia me aventurar a um tipo de leitura que não estava acostumada, com um texto escrito mais como um roteiro cinematográfico.
 
O livro é bem curtinho, apenas 163 páginas o que eu imaginei que seriam devoradas em apenas um dia, mas não foi bem assim. Não sei se foi o momento corrido da minha vida, em que o tempo para a leitura se limitava a um metrô lotado na ida para a aula ou se foi a história que não me prendeu tanto quanto eu gostaria. Só sei que o livro passeou bastante por essas ruas do Rio de Janeiro dentro da minha bolsa e, o que eu achei que seria uma leitura de um dia, acabou levando mais de um mês.
 
Falando sobre a história, Laerte e Carlão formam um casal homossexual com uma conta bancária monstruosa! Todo ano eles promovem um jantar para os amigos mais íntimos e a cada ano novas surpresas eram reservadas aos convidados.
 
A surpresa deste ano era o novo jogo de cadeiras russas e Laerte estava muito animado para exibir a nova aquisição para seus amigos. Mas, logo ao receberem as cadeiras, Laerte e Carlão notaram algo diferente com o estofado de uma delas: ali estavam escondidos mais de 100 mil reais em forma de tesouro. Como dinheiro não era problema, o casal decidiu tornar o jantar anual mais interessante, entregariam o prêmio àquele que sentasse na cadeira recheada. Logo uma minuciosa lista de convidados é feita e os anfitriões começam a torcer para que ninguém falte, ou os planos iriam por água abaixo.
 
A partir de então passamos a conhecer cada um dos convidados, todos com algum passado obscuro, algum segredo, alguma particularidade. Dentre eles três irmãs de meia idade (bem assanhadas...), um padre, um casal, um detetive particular, um imitador do Elvis Presley, dentre outros.
 
O livro é recheado de críticas sociais e estereótipos. O autor coloca um humor sarcástico nos diálogos a cada página e as personagens nos são apresentadas a cada capítulo fazendo com que o livro seja repleto de pequenas histórias independentes que se interligam no jantar na casa de Laerte e Carlão.
 
Apesar de ser a primeira vez que leio um livro em estilo roteiro cinematográfico, gostei da forma como foi escrito e gostaria de ler outras histórias do mesmo estilo, a experiência foi positiva. Gostei também da forma como o autor e o editor pincelaram notas ao longo do livro, como se dessem um "pause" na história para conversarem entre si.
 
Contudo, não consegui me identificar com as personagens. Acredito que a única história que realmente me prendeu foi a do detetive além, é claro, da história principal porque fiquei bem curiosa para saber quem iria ser o sortudo a levar o prêmio de R$ 100.000,00 (posso dizer que o autor me surpreendeu nessa parte).
 
As demais histórias não me fisgaram, todas repletas de apelos sexuais (realmente, achei um pouco demais) de forma muito repetitiva. Não foram poupadas críticas à sociedade e também à religião. Eu estava doida para saber quem ia levar o prêmio, mas quando eu achava que era a hora da revelação, mais um palavrão ou um comentário sexual saltava à página.
 
Por outro lado, o trabalho editorial está lindo! Eu fiquei encantada com a capa, o título em alto relevo foi um charme a mais para a edição! Adorei!
 
Espero que gostem! Me contem nos comentários se você já leu Festim das 12 cadeiras ou algum livro escrito da mesma forma, quero saber!!
 
É bom demais estar de volta!!
 
Com carinho,
 
 








Dados do livro:

Nome: Festim das 12 cadeiras
Autor: Elvis Delbagno
Editora: Schoba
Páginas: 164
Quer adicionar na sua estante do Skoob? Clique aqui!

9 comentários:

  1. Olá!
    Acho a premissa desse livro bem interessante e tenho vontade de lê-lo, ainda mais sendo uma leitura curtinha.
    Acho que o tanto de comentário sexual pode me incomodar, mas vamos testar para ver, rs.
    Adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Mari lindona confesso que a premissa assim como a capa não me chamaram atenção. Lendo sua resenha e senti que os protagonistas não te conquistaram só confirmam que esse livro não é uma leitura para agora. Deixei a dica anotada, quem sabe em outro momento ei leia. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  3. Pela sinopse, achei bem interessante. Fiquei com vontade de ler!
    A capa também me chamou atenção.
    É uma leitura diferente do que estamos acostumados. Estilo roteiro cinematográfico pode ser bom.
    Mas não sei se gostei da parte da sinopse onde diz que o autor traça uma paródia ao conto 12 cadeiras e e ao filme Festim Diabólico.
    Mas darei uma chance à leitura quando puder.
    Òtima resenha!

    Beijinhoss...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olaa
    Infelizmente o livro não chamou a minha atenção, mas parece ser ótimo para quem curte o gênero, a capa está linda e gostei da sua resenha.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  5. Oi Mari!
    Já li a resenha deste livro em algum outro blog e amei a premissa.
    Acho q não li nada ainda da editora, mas confesso que fiquei tentada a conhecer este livro.
    Adoro histórias com um mistério que te prende até o fim.
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Mari! Realmente, entendo que alguns leitores fiquem receosos com o sarcasmo. O que me surpreendeu foi a quantidade de pessoas que elogiou a forma de roteiro, com que o livro foi escrito. Abraços :)

    ResponderExcluir
  7. Ele ser escrito na forma de roteiro cinematográfico é algo que acho muito legal. Mas não leria, não suporto livros com palavrões ou com tanto apelo sexual.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Ei Mari, tudo bem?
    achei a premissa do livro bem interessante, e acho que ia ficar doida tentando descobrir quem ia se sentar na cadeira premiada, e se seria alguém por quem eu torceria, rs. Pena que os personagens não te cativaram, mas eu leria o livro só pelas críticas sociais, rs
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Mari, tudo bom?
    Já aconteceu comigo e tinha um livro curto para ler, mas demorei semanas para finalizar a leitura. Tem muita relação com o período que estamos passando no momento da leitura.
    Bom, eu tinha lido outras resenhas desse livro e tinha ficado curiosa com a trama. Parece aquele tipo de história que deixa o leitor instigado, mas infelizmente os personagens não conseguiram te conquistar. Gostei da crítica que a trama faz sobre nossa sociedade.
    Beijos.
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.