sexta-feira, 3 de abril de 2015

Resenha - A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo

Olá amigos do Cantinho!

Bom dia para todos!

Um dia especial, sexta-feira Santa, dia de ficarmos com o coração contrito e relembrar todo o amor dado por Jesus ao morrer na cruz para nos salvar.

Como membros da Igreja Católica Apostólica Romana passamos por quarenta dias de preparação para a Páscoa, onde nós tivemos a oportunidade de rever nossas atitudes e convertermos nosso coração para o verdadeiro Jesus, o Cristo que se fez homem e que nós podemos encontrá-lo na Santa Eucaristia. Por isso nós nos abstemos de comer carne no dia de hoje em respeito a esse dia tão importante para a liturgia da Igreja.

Hoje o blog mudou um pouco o esquema e a minha resenha que é publicada todas as quartas-feiras excepcionalmente hoje foi publicada na sexta-feira. O livro que eu apresento a vocês hoje é uma belíssima obra da autoria da freira alemã Anna Katharina Emmerick e seu nome é adequado para o dia de hoje, pois se chama: A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Esse foi um dos livros mais bonitos que eu já li e eu explico o motivo logo abaixo:

O que diz a contracapa:

A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo - Desde criança, Anna Katharina Emmerick tinha visões de santos e outras figuras religiosas. 

Ao completar 24 anos, passou a receber os estigmas de Jesus Cristo, inclusive a coroa de espinhos ocultada por ataduras m sua cabeça. 

Baseado em relatos da freira Emmerick, A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo conta, com riqueza de detalhes, como foram as torturas, as humilhações e os ferimentos sofridos por Jesus e ao fim como foi a sua crucificação.



O que eu achei:

Quem acompanha o blog regularmente sabe que eu aprecio muito os livros religiosos católicos. Acho que religião também se aprende, ainda mais com a riqueza histórica que a Igreja Católica possui. Assim, eu procuro conhecer sempre mais sobre a vida dos santos, liturgia e a doutrina ensinada pela nossa Igreja. E eu sempre fui um ávido consumidor de livros dessa temática, somando o gosto pela leitura com a vontade de aprender.

E dessa maneira, fiquei muito contente e surpreso ao notar que a Editora NovaTerra edita livros religiosos também, além dos de outros gêneros. E sobre os livros católicos desta editora parceira e amiga, tenho a dizer que a cada dia que passa eu fico mais impressionado pela qualidade das publicações da NovaTerra, que gentilmente nos cedeu esse exemplar para que eu lesse e fizesse uma pequenina análise do livro.

Em primeiro lugar, não se pode começar falando do livro, sem mencionar a autora. Anna Katharina Emmerick foi uma freira católica da ordem agostiniana que viveu entre 1774 a 1824 e que morava na Alemanha. Graças a sua fé inabalável, possuía dons místicos que a fizeram ver e presenciar situações tanto no passado, como visões do futuro. O Papa João Paulo II a beatificou no dia 3 de outubro de 2004 no Vaticano.

Pintura retratando a Irmã Emmerick na contracapa do livro
 Desde menina Anna Katharina teve visões do seu anjo da guarda e segundo consta no livro, o próprio Menino Jesus vinha brincar com ela, uma coisa que não tem explicação. Crescendo com essas visões em uma família profundamente católica, seria natural que Anna Katharina, apesar de pobre, desejasse ir para o convento, onde foi aceita. Com 24 anos, a irmã começou a receber os estigmas de Jesus Cristo, que são as marcas de seus ferimentos recebidos durante as torturas e a sua crucificação. 

E para que nós soubéssemos mais sobre a autora, o livro começa com a primeira parte destinado a contar uma singela biografia da santa, descrevendo como foram os anos da infância de Anna Katharina e a sua vida adulta. A irmã Emmerick tinha uma fé tão profunda que chegava a ficar em êxtase durante as suas meditações, o que assustava quem estava ao seu redor. Ela sentia as dores de Jesus ao rezar, até que passou a receber, sem explicação nenhuma, as chagas de Nosso Senhor nas mãos e nos pés, onde os pregos feriram o Sagrado ao ser pregado na cruz. Além disso, recebeu também os ferimentos na cabeça, frutos da coroação de espinhos, ferimentos que sangravam e que não desapareceram mais.

O livro conta em sua primeira parte que a freira era tão piedosa que ela chegava a pedir para Jesus as dores físicas de outras pessoas para aliviá-las. Não tenho como avançar com a resenha sem citar um trechinho do livro:

"Daremos mais um exemplo de seus esforços espirituais. Certa manhã, Anna entregou a um amigo um pequeno pacote contendo farinha de centeio e alguns ovos, ordenando-lhe levar a encomenda a uma pobre casinha onde uma pobre mulher, muito adoecida, morava com o marido e dois filhos pequenos. O rapaz deveria aconselhá-la a ferve-los e a consumi-los, pois fariam bem ao seu peito. Quando o jovem entrou no casebre e retirou o pacote debaixo do seu casaco, a pobre mãe, que ardia em febre deitada sobre um colchão entre os filhos seminus, exclamou, olhando-o profundamente: 'Oh, senhor, deve ter sido Deus ou Irmã Emmerick que o enviou a mim! Vejo que me traz farinha de centeio e alguns ovos'. Então, a pobre mulher, dominada por seus sentimentos, caiu em prantos e começou a tossir com tamanha violência que teve de pedir para que o marido falasse por ela. O marido, por sua vez explicou que, na noite anterior, a mulher, que se chamava Gertrudes, tivera muitas dores e falara bastante enquanto dormia. Ao acordar, contou-lhe seu sonho usando as seguintes palavras: 'Imaginei que estava na porta de casa com você quando a santa freira saiu da residência ao lado e e pedi para que você olhasse para ela. A freira parou diante de nós e disse: 'Gertrudes, você me parece muito doente. Pedirei para que lhe tragam farinha de centeio e alguns ovos. Isso aliviará seu peito'. Então, acordei.' Foi esse o simples relato do marido. O casal expressou sua gratidão com tal reverência que o portador da caridade de Anna Katharina deixou o local extasiado. O rapaz não comentou nada sobre aquilo nos dias que se seguiram, mas pouco tempo depois, Anna o mandou novamente ao mesmo local com um presente semelhante. Por esse motivo, o jovem quis saber de onde ela conhecia a pobre mulher. Anna respondeu: 'Você sabe que rezo todas as noites pelos que sofrem e gostaria de ir até onde estão para aliviar o sofrimento de cada um. Normalmente, sonho que vou de casa em casa, ajudando-os com todas as minhas forças. Dessa maneira, cheguei ao casebre daquela pobre mulher, que estava na porta com o marido e lhe disse: 'Gertrudes, você me parece muito doente. Pedirei para que lhe tragam farinha de centeio e alguns ovos. Isso aliviará seu peito'. Foi exatamente o que fiz através do senhor na manhã do dia seguinte'. As duas haviam tido o mesmo sonho, cada uma em seu leito e o sonho se tornara realidade." (página 21/22).

Não há explicações humanas para esse mistério, assim como não há palavras para descrever a beleza das descrições da paixão de Nosso Senhor durante o calvário.

Detalhe lateral das páginas do livro que dá um ar de documento antigo ao livro
Impossibilitada de escrever graças as chagas divinas, o livro foi escrito por um amigo da freira, através de suas narrações a ele apenas redigiu os relatos. Tudo começa na quinta-feira Santa, em que Jesus e os discípulos estão preparando a Páscoa judaica e fazem a Santa Ceia, que é presenciada por Anna Katharina. Ela também vê Jesus instituindo a Eucaristia e a fornece aos seus amigos. Nessa parte, é interessante como a freira vê Jesus distribuindo aos discípulos diferentes hierarquias, dando a São Pedro uma das mais importantes, sendo o chefe dos discípulos a partir daquele ponto. Jesus imbui em São Pedro a chefia, que vem até os dias de hoje com o Papa liderando toda a Igreja a mando do próprio Jesus. Ela também chega a ver demônios ao lado de Judas Iscariotes, mostrando para nós que ele já estava corrompido e não refletia mais sobre a traição, coisa que para ele já era certa.

Esse é apenas um dentre inúmeros detalhes inclusos no livro. Um dos pontos fortes de A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo é a quantidade quase que infinita de detalhes narrados pela freira. Ainda nessa cena da Santa Ceia, pode-se ler como o cordeiro era preparado para a festa da Páscoa judaica, exatamente nos moldes como os judeus faziam. E ainda a freira vê como as atitudes do Senhor Jesus na Santa Ceia se assemelham aos modos como os sacerdotes agem durante as celebrações das Santas Missas dentro da liturgia da Igreja.

Meu exemplar cedido pela NovaTerra 
Nossa fé não é uma fé cega, sem razão, mas fruto de ensinamentos do próprio Salvador. Ler tais palavras nessas páginas encheu-me mais ainda de fervor e alimentou mais a minha fé.

O livro continua mostrando a madrugada de Jesus e seu sofrimento no horto das Oliveiras, jardim que Jesus usava para se reunir com os apóstolos para meditar e rezar a Deus Pai. Ali a freira viu ele suportar todos os pecados do mundo, numa atitude de imenso amor. Segundo narra o livro, Jesus chegou a transpirar sangue e a freira viu o Salvador carregar em suas costas todos os pecados de todas as pessoas até o fim dos tempos, inclusive os dela mesma. 

A narrativa, feita em pequenos capítulos, atravessa a madrugada e adentra na sexta-feira da Paixão, onde Jesus foi preso e condenado. Há detalhes impressionantes sobre o procedimento feito na corte dos fariseus, de como Caifás e Anás agiram. Deus permitiu que a Irmã Emmerick visse os fatos sob a ótica sobrenatural e ela podia ver esses fariseus sendo estimulados por vários demônios para forçar a condenação de Nosso Senhor.

Após isso, ainda tem o envio para o tribunal de Pôncio Pilatos e a entrega de Jesus ao palácio do rei Herodes e a sua devolução para o tribuno romano. Sobre Pilatos, o livro da santa irmã é taxativo a dizer que ele era extremamente orgulhoso e um juiz fraco. A irmã conseguia ver também as intenções dos presentes e o que eles tinham no coração. Assim, rodeado de demônios, Pilatos cedeu e lavou as mãos, após ter ficado convicto que Jesus não merecia aquele destino, mas não freou a injustiça e assim, a profecia foi cumprida. Ainda sobre Pilatos, nunca soube que a esposa dele, uma romana de nome Cláudia Prócula fugiu para se juntar aos discípulos de Jesus pois acreditava que ele era de fato o Messias. Mais um detalhe curioso da história da Paixão.


A Santa Mãe de Deus também sofreu junto de seu amado filho
O livro narra toda a flagelação e a condenação de Cristo de maneira muito detalhada e impressionante. Os detalhes contidos no livro são tão impressionantes que até o ator Mel Gibson utilizou-se do livro para inspiração das cenas do polêmico filme A paixão de Cristo, de 2004. Tem-se que ele pesquisou muito sobre a paixão de Cristo, mas ficou impressionado com o livro A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, esse mesmo que eu relato a vocês e então, Mel Gibson decidiu refazer algumas cenas encontradas no livro dentro de seu filme, divulgando, sem saber, esse livro tão especial.

Também é impossível falar sobre esse livro e não mencionarmos a santa participação da Virgem Maria. A Mãe de Deus esteve ao pé da cruz e acompanhou seu filho até o Calvário, onde sofreu por ver o seu filho ser injustamente morto. Maria teve uma espada de dor transpassada em seu coração e mesmo com isso, foi firme e soube dar a sua vida aos desígnios de Deus. Nisso se revela a sua importância nessa história sagrada.

É impossível ao leitor não sentir nem que seja um mínimo mal estar ao ler as cenas de tortura e violência praticadas contra Jesus. Ao longo de todo o livro você sente uma repulsa pelos odiosos e hediondos atos de violência cometidos contra Jesus, principalmente quando ele é pregado na cruz e ela é erguida para a exposição do condenado. Em vários momento do livro, também nesse instante das marteladas, a freira conseguiu ver anjos amparando Nosso Senhor e aplicando ungüentos para que ele suportasse tamanha crueldade.

Além dessas informações existentes dentro do livro, ainda têm reproduções de pinturas de diversos artistas famosos entre um capítulo e outro e que retratam as diversas passagens da via crucis. Isso merece aplauso porque deixa o livro mais rico e quebra um pouco o constante ritmo de violência que o livro traz da sua metade até o fim.


Entre as artes do livro, tem-se a "Crucificação de Jesus", de Gustave Doré
No fim do livro, outra passagem impressionante nos é narrada quando Jesus morre. Após expirar, vem um grande terremoto sobre a terra e alguns espíritos de pessoas mortas vem a esta terra para acusar os assassinos do Filho de Deus. Eu não sabia que isso tinha acontecido e fiquei estarrecido com a narração explanada pela Irmã Emmerick, conforme se vê com o trechinho a seguir:

"Mais de cem pessoas que morreram em diferentes épocas voltaram aos corpos que haviam ocupado na terra, apareceram em diferentes partes em Jerusalém e encheram os habitantes de indescritível consternação. As almas que foram libertadas por Jesus no Limbo revelavam seus rostos e perambulavam de um lado para o outro e, embora usassem os mesmos corpos que tiveram quando viviam na terra, seus pés não apreciam tocar o chão ao caminharem. Entravam na casa de seus descendentes, proclamavam a inocência de Jesus e recriminavam severamente os que tivessem tomado parte em sua morte. Vi-as passar pelas ruas principais; normalmente ficavam em duplas e deslizavam pelo ar sem mover os pés. Algumas tinham o semblante pálido; outras, amarelado; suas barbas eram longas e sua voz soava estranha e sepulcral. A roupa com que foram enterradas era típica da época de seu falecimento. Às quarto da tarde, todos os mortos voltaram as suas sepulturas" (página 185)

Desculpem-me pelo tamanho da resenha, ela ficou bem extensa! Mas fica impossível escrever pouco quando o livro é tão especial como esse foi para mim!

Até a próxima semana!

Feliz e Santa Páscoa a todos! 








Dados do livro:

Nome: A dolorosa paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo
Autora: Anna Katharina Emmerick
Editora: NovaTerra
Páginas: 240


10 comentários:

  1. Olá
    Não sei se é um livro que leria, mas confesso que parece se interessante e forte, inclusive, a história em si é muito boa, mas talvez ainda não esteja no tempo certo, mesmo assim é uma ótima dica.

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/
    Catharina
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Marcos parabéns pela leitura e pelo ótimo texto. Ela se encaixou perfeitamente com o período do ano.
    É sempre bom conhecer um pouco mais dos gostos e hábitos dos blogueiros.
    Confesso que não seria o tipo de leitura que eu priorizaria, mas se precisasse pesquisar o assunto por algum motivo leria sem problemas. Esse tema é sempre interessante e tudo relacionado à religião e a fé servem para nos inspirar a sermos uma pessoa melhor.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eu não leio livros religiosos e na verdade não sou uma pessoa envolvida com este assunto, mas respeito e admiro pessoas que dedicam -se as suas crenças e as seguem, o texto está ótimo e acredito que muitas pessoas sentirão-se felizes em ver o tema abordado no blog.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  4. Olá tudo bem?
    Geralmente não leio livros com temática religiosa (seja qual for a religião), a menos que seja para a faculdade. Não sou religiosa, mas respeito todas elas e fico feliz em saber que este livro e esta época do ano (páscoa) são especiais para você. Bjus!!!
    http://lendoaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Marcos, tudo bem?
    Parabéns pela resenha, deu para perceber o quanto o livro mexeu com você. Acho que o melhor lado das religiões é exatamente esse, de atingir nossa alma e nos envolver.
    Fiquei pensando na situação da freira. Deve ter sido bem pesado passar por tudo que ela passou, e ainda ver tudo que viu, tantos anos após o acontecido. E mesmo o livro já sendo tão antigo, eu não o conhecia.
    Achei legal a inserção de imagens de quadros famosos na obra.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiee

    Nossa o livro parece ser bem interessante e ele tocou muito em você, quando lemos um livro que renova e reforça a nossa fé é isso que temos vontade de fazer de divulgar e nos expressar ao mundo o quanto o livro te tocou! Parabéns pela resenha!

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas só pela sua resenha eu já fui impactada e tocada pela demostração de fé. Não conhecia a história da freira Anna Katharina, mas achei tudo tão emocionante e inspirador. Ela passou por coisas que metade de nós não suportaria.
    Beijos,

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro, mas foi realmente a data certa para postar a resenha!
    É realmente de se admirar quem consegue vencer barreiras da forma que Anna Katharina fez, realmente temos que aprender.
    Beijos,
    Deia!
    Own mine

    ResponderExcluir
  9. Oi Marcos, tudo bem?

    Eu não conhecia o livro, mas pude perceber através da sua resenha o quanto este livro foi importante para você e o quanto te tocou. Faz tempo que não leio nada religioso, mas estou sempre aberta a isso e vou procurar este livro para ler e também vou indicar pra minha mãe. Acho que ela vai amar.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá Mariana, gostaria de saber como você conseguiu comprar esse livro, se em uma livraria próxima ou pela internet, pois tenho muita vontade de obtê-lo, mas não consigo achar em nenhuma livraria próxima. Poderia comprar pela internet. Você tem alguma referência para comprar esse livro pela internet?

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.