quarta-feira, 10 de setembro de 2014

A Hospedeira

Olá amigos do Cantinho! 

Estou de volta para trazer para vocês a minha terceira resenha!

Hoje vamos conversar sobre um título até bem conhecido, que é da autoria da famosa Stephenie Meyer, autora da renomada série Crepúsculo. Mas vou resenhar A Hospedeira.

O que diz a orelha do livro:

 Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

O que eu achei:

Que belos olhos! Não, péra!
Eu seria mentiroso se não admitisse que a capa do livro me impressionou desde a primeira vez que a vi. A capa é muito bonita! A figura é desfocada na parte de um rosto feminino, concentrando a imagem num belo olho azul-acinzentado, tendo entre a íris e a pupila uma estranha luminosidade, tudo isso num fundo escuro, estranhamente assustador.

O preço, muito atraente num país em que os livros parecem ser feitos de ouro e cravejados com pedras preciosas, também foi quesito chave para que eu comprasse. Eu não tinha lido nada da autora ainda e A Hospedeira foi o primeiro livro da Stephenie Meyer que eu li. Li Crepúsculo bem depois, quando vi a blogueira elogiar, elogiar e elogiar.


Já de início, a história fantasiosa da extinção dos humanos na terra me envolveu completamente. Sobre essa extinção da humanidade, a autora consegue ser bastante original em descrever o sistema de escravidão formado pelas chamadas "almas", que são os alienígenas que tomaram posse do planeta e dos corpos dos seres humanos, fugindo de outros clichês de ficção científica como por exemplo, os vírus que transformam os humanos em zumbi. Esses seres de outro planeta conhecidos por "almas", vieram para a Terra justamente para salvar esse planeta, pois culpam a humanidade por toda a sujeira e podridão existente nessa terra.


Então, esse extraterrestres mostram-se civilizados e organizados, o que dificilmente se vê em livros de fantasia. E o grande barato do livro é o equilíbrio que a Steph Meyer consegue fazer entre a fantasia e a ficção na sua obra. Ela consegue dosar tão bem os dois gêneros que não fica uma leitura pesada e maçante.


Um desses seres vindos de fora chamada Peregrina, é a personagem principal e após tomar posse do corpo da humana, não consegue se livrar dela, pois a presença da antiga Melanie é constante, o que deixa a alienígena totalmente confusa. Nesse momento, eu não consigo deixar de comparar: quantos de nós não temos uma voz interior que nos orienta e nos faz pensar nas nossas atitudes? A nossa consciência humana é essa pequenina fala que existe dentro das nossas cabeças e que nos faz distinguir entre o certo e o errado. Não tem como não comparar a humana resistente na cabeça da Peregrina com o nosso juízo moral e essa habilidade do intelecto humano.


A personagem principal Peregrina é carregada de brandura e se mostra bondosa ao extremo, o que a faz entrar em choque com os seres humanos remanescentes, que se assustam com um ser invasor que tomou a humanidade de assalto sem usar qualquer método violento e ainda consegue ser mais humana do que os próprios seres humanos. Essa doçura da Peregrina capta o leitor, que rapidamente nutre grande simpatia por ela. E soma-se a isso o fato de que a Peregrina convive com a mente da humana que ela possuiu o corpo, que é a Melanie.

Ao conviver com a mente de Melanie, Peregrina começa a entender que os humanos também possuem um lado bom, principalmente quando amam. Melanie só queria proteger o irmão menor e o grande amor da sua vida e Peregrina acaba por traçar como seu objetivo de vida, o objetivo de Melanie: que é proteger seus amado irmãozinho e seu namorado Jared. Peregrina teme os humanos no início, mas seu convívio  com eles a faz perceber que seu lado bom pode se sobrepor a qualquer maldade e imperfeição humana.

O livro mostra, ainda, todas as faces do amor de modo bastante simples e direto. Há o amor fraternal, o amor doação em comunidade, o amor romântico. Um ponto bastante interessante do livro é o curioso triângulo amoroso existente na trama. É um triângulo que causa poucos danos, talvez pelas nuances e pela singeleza com que a autora trata do tema. No fim das contas, eu não resisti e tive que reler A hospedeira para que nenhum detalhe passasse despercebido. 

Stephenie Meyer conseguiu se superar com essa ficção científica com uma boa pitada de romance.

E o roteiro foi aproveitado pela indústria do cinema e o livro deu origem ao filme, que estreou em 29 de março de 2013. A adaptação para o cinema teve a bela Diane Kruger e o famoso William Hurt no elenco.

Esse foi um dos primeiros livros que eu comprei quando voltei a ler com regularidade. Não escondo de ninguém que voltei a ler com regularidade graças a dona desse blog, que sempre me incentivou na leitura!

Obrigado, Mari, por me estimular nesse mundo literário!

E vocês, que são leitores ávidos por histórias boas, já leram A Hospedeira? Tiveram essa impressão boa que eu tive?

Até a próxima!




Dados do livro:

Nome: A Hospedeira
Autora: Stephenie Meyer
Tradutor: Renato Aguiar
Editora: Intrínseca
Páginas: 557

15 comentários:

  1. Nossa, sua resenha me deixou bem curiosa para ler, e assim vai mais um para minha lista, rs, vou ficar maluca com tantos livro bons para ler, eu amo crepúsculo e adoro essa autora então concerteza vou ler a Hospedeira...

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Eu já assisti o inicio do filme, porém parei pois queria ler o livro primeiro.
    Só que fui passando outras leituras na frente e até hoje ainda não li o livro.
    Mas, ele ainda está entre os que pretendo ler mais á frente.
    Beijos
    Construindo Estante

    ResponderExcluir
  3. Olá Marcos, tudo bem?
    Então, li A Hospedeira porque sou muito fã da Stephanie Meyer, e tenho todos os livros dela. Tanto este, como a saga Crepúsculo e Formaturas Infernais. Então, sinceramente, eu não gosto de ficção cientifica. Tudo muito clichê, como você mesmo disse... Mas, fiquei surpresa com este livro. O mais interessante é que ela conseguiu dosar a fantasia com o romance. Como mesmo diz no livro: Um triângulo amoroso, com dois corpos. Interessante né? Fiquei com esta frase na minha cabeça, e fiquei louca para lê-lo logo, e desvendar isso. E sobre o preço, ele só vivia de R$ 40,00 mas hoje, você pode encontra-lo por R$10,00 e foi por esse preço que comprei rs.
    Recomendo e muito este livro!!! Amei a resenha.

    Beijos, Vi.

    ResponderExcluir
  4. AMEI a sua resenha!!! O mesmo exemplar que vc releu foi o que eu li e, mais uma vez, obrigada por me emprestar!!!!
    E achei muito pertinentes seus comentários sobre a consciência humana, eu pensei muito nisso quando li o livro e por isso amei tanto a leitura!!!

    e para de puxar o saco da Mari!! kkkkk

    Beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá Marcos...Não irei mentir, que primeiro me encantei com esta capa também, mas depois que li me arrependo de não ter lido antes. Achei uma historia completamente diferente e super envolvente. E apesar de ser um livro bem grande "devorei" a historia.Ótima resenha e com certeza pretendo reler.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Marcos, tudo bem?

    Falam que A Hospedeira é o melhor livro dela. Mas, sinceramente, já desisti da autora huahuahuahua não me adaptei a escrita dela =(

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. confesso que nunca tive curiosidade em ler ou assistir ao filme, mas sua resenha foi tão bem feita e convincente que agora vou ter que ler esse livro....
    obrigada pela dica...

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bom?
    Parabéns primeiramente para a Mari por te incentivar a voltar para o universo da leitura. Bom, devo dizer que tenho medo de ler esse livro e estou adiando a leitura há dois anos. Sua resenha me deu um animo a mais, porém, ainda não sei quando poderei lê-lo. A premissa me atrai muito, mas tenho medo de achar o livro chato.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pela resenha Marcos, mas sinceramente, o estilo da Stephenie Meyer não me atrai. Já quis ler Crepúsculo, já que amei os filmes, mas nunca quis me aventurar nesse mundo dessa escritora :/ Continue lendo assiduamente! É muito bom, já que você tem um ótimo incentivo! Bjs

    ResponderExcluir
  10. Eu nunca li esse livro, mas quando estreou eu ficarei tão curiosa que tive de ir ao cinema. Achei a história legal mas o filme um pouco bobinho porque ficou ficado muito no romance e ficou uma coisa meio crepúsculo. Muito romance, pra mim, não rola. Já o livro, maioria que eu ouvi/li diz que é bom mas não muito mais que isso e no começo o livro e muito chato, muito parado, muito arrastado. Eu realmente fico na dúvida se quero tirar minhas próprias conclusões ou não. Mas eu não tenho muita vontade de ler não. Eclipse já foi uma experiência suficientemente ruim com a autora.

    Abç
    hollywoodemcasa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Marcos!
    Depois de ler a saga Crepúsculo eu sinceramente achei que a autora nunca iria escrever alguma coisa realmente boa. Ainda bem que me enganei. A Hospedeira é incrível! Eu me emocionei, chorei, fiquei apreensiva e torci mais do que nunca pros personagens. Foi um dos melhores livros que eu já li e fico feliz que você também tenha gostado.
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Comprei esse livro a um tempão, mas confesso que sempre passei outros na frente... A capa também me intrigou bastante, bem como a sinopse, mas nada muito extraordinário a ponto de ter a "necessidade" de ler essa história... Essa foi a primeira resenha que vi sobre ele e gostei muito... Pode ser que agora eu finalmente resolva ler
    Kisses :D

    ResponderExcluir
  13. Oi, Marcos!
    Já faz um tempo desde que li Crepúsculo, mais tempo ainda em relação à Hospedeira (que, realmente, conseguiu me surpreender).
    Depois de ler a resenha e lembrar dos bons momentos, fiquei com vontade de ler de novo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Tenho este livro na estante, comecei a ler a um tempo atrás, mas achei o começo bem cansativo,deixei ele de lado, mas quero retomar a leitura.

    ResponderExcluir
  15. A Hospedeira ♥♥♥♥♥
    Para nós leitores é bem difícil escolher livros favoritos né, mas eu digo sem medo que o meu é A Hospedeira, já li o livro umas 3 vezes .

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.