quinta-feira, 26 de junho de 2014

Perdão, Leonard Peacock

Olá leitores, tudo bem?
 
A resenha de hoje é de um livro que eu li já há algum tempinho. Se eu não me engano, li no início deste ano.
 
Conheci o autor, Matthew Quick, em O lado bom da vida e decidi que queria ler outra de suas histórias e foi assim que Perdão, Leonard Peacock veio parar na minha lista de desejados.
 
O que diz a contracapa:
 
Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.
 
 
O que eu achei:
 
"A chave é fazer algo que marque você para sempre na memória das pessoas comuns. Algo que importe."
 
Muito comovente, é assim que quero começar a resenha de Perdão, Leonard Peacock. Ao logo das páginas somos apresentados a Leonard Peacock, um adolescente que decide acabar com a própria vida no dia do seu aniversário. Para Leonard, sua ausência não seria sentida por muitos e não via mais razões para continuar vivendo.
 
Porém, antes de se matar, Leonard precisa finalizar alguns assuntos: despedir das poucas pessoas que se importam com ele e matar Asher Beal, seu ex melhor amigo.
 
É exatamente deste ponto que nós leitores começamos a acompanhar a vida de Leonard Peacock, do seu café da manhã, no dia do seu aniversário, embrulhando presentes para algumas poucas pessoas como forma de despedida e colocando em sua mochila escolar a P-38, pistola do Reich que servirá para acabar com a vida de Asher, e a dele próprio.
 
O livro é todo narrado em primeira pessoa e, dessa forma, podemos acompanhar o quão cheia de conflitos é a vida de Leonard. Sua mãe não parecia se importar muito com ele, então suas referências são o vizinho e o professor. Além disso, descobrimos a importância dos poucos amigos e o porque de Leonard estar tão empenhado em matar Asher.
 
"Além da P-38, há outros quatro embrulhos, um para cada um dos meus amigos. Quero me despedir deles adequadamente, quero dar para cada um algo que os faça se lembrar de mim, pata que saibam que eu realmente me preocupo com eles e que lamento não ter sido mais do que fui - não poder ter continuado por perto-, e que o que acontecerá hoje não pode ser culpa deles."
 
Muitas vezes, ao longo da leitura, morri de raiva da mãe de Leonard e morri de amores pelo professor, que tentava a todo custo salvar Leonard de si próprio, incentivando-o a olhar um futuro em que ele era personagem de sua própria história. Um futuro em que tudo acabava bem.
 
Apesar do tema pesado, a narrativa flui bem, mas preciso falar que me irritei bastante com a quantidade de notas de rodapé. Não gosto de nada que "quebre" a minha leitura e o meu raciocínio e a quantidade de notas de rodapé inserida no texto foi o suficiente para me incomodar. Com você também é assim?
 
Perdão, Leonard Peacock é um livro tocante, comovente e que nos coloca para refletir. Indico a todos.
 
Espero que gostem.
 
Com carinho,
 
 
 
 
Dados do livro:
 
Nome: Perdão, Leonard Peacock
Autor: Matthew Quick
Tradução: Alexandre Raposo
Editora: Intrínseca
Ano da edição:2013
Páginas: 224

8 comentários:

  1. Eu ainda não li o "O Lado Bom da Vida", mas vi o filme, que, por sinal, é muito bom. O livro também parece ótimo, e esse parece superar. Eu quero lê-lo agora, se pudesse. Muito, muito interessante. Ótima resenha.

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari, tudo bom?
    Nossa, a temática é pesada e mesmo assim eu estou muito curiosa para ler o livro. Minha prima vai me emprestar e me deu várias recomendações boas . Não li nada do autor ainda, mas quero começar com esse livro. Imagina o que não deve passar na cabeça do personagem para tomar uma decisão dessas...
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gostei!! Já estou com ele aqui em ebook pra ler.
    Acho que vou gostar pelo que vi aqui.
    Gosto desse tema, um pouco mais dramático talvel?!

    Adorei.

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Esse tipo de livro não faz muito meu estilo de leitura, muito dramático, mas achei interessante sua opinião sobre ele, as vezes dá vontade de bater em alguns personagens dos livros, como a mãe de Leonard como pude ver hahahaha
    Tbm me incomodo com muitas notas no rodapé, assim como vc disse quebra a leitura e tira o foco.
    Beijo!
    Books Many Books

    ResponderExcluir
  5. Oie Mari querida :)

    Adorei a resenha e também deseja muito ter esse livro , eu ganhei de amigo secreto esse ano e ainda não consegui ler mas quero muito ler pois adoro livros que abordam esse tema de suicidío meio doido isso né mas adoro esse tema espero gostar o mesmo que você :)

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  6. Confesso que nunca me interessei muito pelas premissas de livros desse autor, mas esse me parece ser, de longe, o mais bacana de todos.
    Não sei se leria, talvez pra conhecer o trabalho do autor.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. OI Mari tudo bem? Espero ter a oportunidade de ler este livro em breve eu gosto desses temas mais pesadinhos ^^

    Achei seu blog através do book tour da Keila e amei, já estou seguindo o blog e se quiser conhecer meu cantinho também sera super bem vinda!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  8. Oi Mari, tudo bem?
    Confesso que essa história não me atraiu, achei o tema muito pesado. Não entendo o comportamento do personagem. Problemas todos nós temos, essa não é a solução. Por esse motivo não leria o livro.
    Mas gostei da sua resenha, seu texto está muito bem argumentado.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.