sábado, 8 de junho de 2013

A arte de ouvir o coração

Boa tarde!!!! Como vão???


Hoje eu vim especialmente para falar de uma história que tocou o meu coração. O livro foi mais um presente de aniversário de uma das minhas melhores amigas, a mesma que me deu A Culpa é das Estrelas, já falei dela aqui, né!! (obrigada mais uma vez, Rafa!!!).

Quando a Rafa me deu este livro, disse que chegou a livraria e pediu indicações para dar de presente a uma amiga que era muito romântica (sim, sou eu!) e ela chegou aqui com “A arte de ouvir o coração”. A moça da livraria não sabe, mas acertou em cheio na dica, eu estou apaixonada pela história.

Acabei de ler o livro no fim da tarde de sexta feira. Sabe quando você termina aquela história e fica um vazio ecoando no ambiente, você quer mais e mais; fecha o livro, abre novamente, confere se não pulou nenhuma página... é o fim mesmo? Eu não queria que acabasse.

A história se divide entre Nova York e um vilarejo na Birmânia e é a busca desesperada de uma filha pelo paradeiro do pai. Lá ela descobre muito mais que isso, escuta, pela primeira vez, de um desconhecido na casa de chás, a história da própria origem.

O que diz a contracapa:

“Uma história de amor comovente e inspiradora, A arte de ouvir o coração vai ensiná-lo a ver o mundo de outra forma. Um bem sucedido advogado de Nova York desaparece de repente sem deixar vestígios, e sem que sua família tenha qualquer ideia de onde ele possa estar. Isso até o dia em que Julia, sua filha, encontra uma carta de amor que ele escreveu há muito anos para uma mulher birmanesa da qual nunca tinha ouvido falar. Com a intenção de resolver o mistério e descobrir enfim o passado de seu pai, Julia decide viajar para a aldeia onde a mulher morava. Lá, ela descobre histórias de um sofrimento inimaginável, a resistência e a paixão irão reafirmar a crença no poder que o amor tem de mover montanhas”



O que eu achei:
Estou completamente encantada!!! Posso falar é que um livro de muitos sons, que ensina como escutar o coração das pessoas e seu timbre de voz e assim reconhecê-las sem precisar colocar os olhos nelas, afinal, como sabiamente diz Antoine de Saint-Exupéry o essencial é sim invisível aos olhos.

Tin Win teve uma vida bem difícil em um vilarejo na Birmânia, visto pela mãe como uma maldição, com a morte do pai acabou sozinho a própria sorte, contando com a ajuda de uma vizinha que o criou como filho.
Aos oito anos Tin Win perdeu sua visão. Levado por sua mãe de criação ao mosteiro do vilarejo aprendeu com os monges todas as lições para a vida, principalmente a de adaptar as tarefas do dia a dia a fim de que a falta de visão não lhe fosse um problema.

Aos poucos Tin Win percebeu que seus outros sentidos podiam lhe ajudar mais do que ele imaginava. Em uma conversa com o monge U May descobriu que a verdadeira essência das criaturas estava muito além do que os olhos podiam lhe mostrar e foi assim que Tin Win aprendeu a valorizar os sons a sua volta.

Mas foi em um dia pelos corredores do mosteiro que Tin Win ouviu um barulho diferente, um som extraordinário que o fez caminhar até encontrar a sua origem, o que o levou diretamente ao coração de Mi Mi. Que batida especial! Ninguém mais conseguia escutar?

Ali, Tin Win e Mi Mi iniciaram uma história de amizade e de muito amor. Um completava o outro. Mi Mi era os olhos de Tin Win e Tin Win era as pernas de Mi Mi.

A história da vida de Tin Win estava sendo contada em detalhes por U Ba a Julia, que apareceu na Birmânia desesperada atrás de pistas do desaparecimento de seu pai, um advogado bem sucedido de Nova York.

Mas o que a vida de Tin Win, um garoto especial que ouvia a vida de forma diferente, tinha a ver com o que ela procurava? Julia já se sentia irritada com a intromissão do desconhecido na casa de chás, que insistia em lhe contar uma história que ela não estava interessada. Só queria encontrar o seu pai e retornar para os Estados Unidos.

Seja por curiosidade ou porque estava muito cansada para discutir, Julia ouviu com atenção o que U Ba tinha a lhe dizer e acabou se surpreendendo com o rumo que a história tomava.

Com um enredo cativante, personagens que são um exemplo de como as dificuldades podem ser superadas quando se encontra alguém que lhe estende a mão, A arte de ouvir o coração com certeza vai fazer você parar por alguns instantes a rotina agitada e simplesmente agradecer a Deus por estar vivo, foi esse sentimento que o livro fez surgir em mim e eu tenho certeza que fará o mesmo por você.

E aí, já parou hoje por alguns minutos simplesmente para escutar os sons da vida à sua volta?

Como eu disse, esse é um post muito especial. Essa leitura eu indico a todos.

Sejam felizes!

Com carinho,

Mari




Dados do Livro:
Nome: A arte de ouvir o coração
Autor: Jan-Philipp Sendker
Tradução: Carolina Caires Coelho
Editora: Paralela
Ano da edição: 2013

Páginas: 253

Um comentário:

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.