sexta-feira, 31 de maio de 2013

Morte Súbita

Bom dia, amigos!

Quando fiquei sabendo do lançamento do novo livro de J.K Rowling aqui no Brasil fiquei doida. Desde Harry Potter e a Pedra Filosofal me tornei fã da autora, lia um livro do Harry Potter atrás do outro, sofria quando demorava a lançar no Brasil o próximo número, chorei com o fim da série... enfim...cresci lendo Harry Potter, por isso a animação diante do lançamento de Morte Súbita.

The Casual Vacancy, traduzido no Brasil para Morte Súbita é o primeiro livro da escritora inglesa depois da série Harry Potter e prometia ser um enredo mais voltado para o público adulto.

Qual foi a minha alegria, minha querida amiga Érica Leme prontamente me emprestou o seu exemplar (obrigada!!).


O que eu achei:

Para começar, a capa é linda! Eu sei, não se pode julgar o livro pela capa, mas eu acho que é a primeira coisa que nos chama a atenção quando não conhecemos a estória. A capa de Morte Súbita foi feita com muito capricho! Ponto para o livro.

Quanto ao enredo, J.K Rowling definitivamente não perdeu aquele jeito de escrever que prende o leitor até o final. Depois do sucesso de Harry Potter eu fiquei muito curiosa em saber como a autora conduziria uma estória com um foco diferente, sem fantasia e totalmente ligada à vida como ela é.

Aliás, Morte Súbita nos mostra dois lados de uma sociedade. É triste ver como algumas pessoas que estão com uma vida tranquila, com moradia, alimentação e educação pouco se importam com os que nada têm, ao contrário, a maior preocupação era mantê-los o mais longe possível de sua convivência.

Barry Fairbrother não era uma delas, apesar de sua posição de prestígio na sociedade, lutava no Conselho de Pagford por melhorias para o bairro menos favorecido que outrora fora ligado à cidade. Com sua morte, logo no início do livro, uma vaga no Conselho é aberta e a disputa pelo poder começa entre os moradores.

Durante a disputa eleitoral segredos dos concorrentes são escancarados no site do Conselho, o que deixa todos possíveis conselheiros amedontrados, quem será o próximo a ter sua vida pessoal invadida dessa forma? E mais, quem é essa pessoa que conhece os segredos mais íntimos de cada candidato e o que ela ganha espalhando-os por toda rede?

São vários personagens diferentes e suas vidas são contadas e interligadas durante as sete partes do livro, que nos prende a cada página.
J.K. Rowling nos leva a conhecer as precárias condições do bairro de Fields, onde vive a jovem Krystal Weedon e sua família problemática. A mãe, viciada em drogas, já perdeu a guarda dos filhos e Krystal faz o que pode para cumprir as determinações da assistente social, a fim de evitar que sua família seja separada novamente.

Fields é o principal ponto de discussão entre os candidatos à vaga de conselheiro, muitos querem se ver livre do bairro e da clínica de reabilitação lá instalada, fazendo com que Fields seja desligado de uma vez por todas de Pagford. Conselheiros simpatizantes a causa de Barry Fairbrother lutam pela permanência do bairro e por melhores condições a seus moradores.

Na verdade, a vida de Krystal Weedon partiu meu coração. Criada em meio ao vício da mãe, sem saber quem é seu pai, com um irmão pequeno para cuidar. Teve algumas oportunidades na vida, pode estudar em um bom colégio e ter bons amigos, mas acho que ela não soube muito como apreciá-las, ou ainda, o destino lhe pregou uma peça com a morte de Barry Fairbrother, pessoa que mais incentivava o seu crescimento.

Relacionamentos mal resolvidos, bullying, falta de diálogo entre pais e filhos e muitos conflitos sociais são narrados com excelência por J.K. Rowling, que trata em Morta Súbita de problemas existentes em todas as sociedades e que muitas vezes os nossos olhos estão fechados demais para enxergar.

Recomendo a leitura e continuo super fã da autora, a espera de sua próxima obra!

E vocês, já leram?

Com carinho,

Mari



Dados do Livro:

Nome: Morte Súbita
Autor: J.K. Rowling
Editora: Nova Fronteira
Ano: 2012
Páginas: 512









4 comentários:

  1. Mari, não achei que você tivesse gostado tanto assim do "Morte Súbita"
    Pra mim, você tinha se decepcionado com o livro.

    Pois bem. Eu também gostei muito do que eu li. Li o livro praticamente inteiro enquanto acompanhava o meu pai no hospital em abril. Hospitais são lugares quietos, ótimos lugares para ler livros e refletir sobre o que é lido...

    (O livro é tão impactante que o médico que atendia o meu pai entrou no quarto e antes de atendê-lo, viu o livro nas minhas mãos, olhou para mim e perguntou com um grande sorriso no rosto: "Nossa, é o Morte Súbita! Está gostando?")

    E eu fiquei fã de J.K. Rowling! Eu nunca tinha lido a tão famosa série Harry Potter e mesmo com todos ao meu redor elogiando, eu gostei da escrita dela e com o enredo do livro.

    E de fato, a capa é muito bonita e uma característica que eu nunca vi em capas de livros: ela é bem sedosa. Sentimos a sua textura macia ao passar os dedos pela capa e contracapa. Dá vontade de segurar o livro por horas.

    O bairro de Fields é o principal assunto do livro, como a Mari relatou na sua resenha.
    E nós podemos fazer a relação entre o bairro da cidade inglesa de Pagford e as Cohabs brasileiras, as favelas, as periferias...

    Tanta omissão estatal nesses lugares... tantas ausências: falta estrutura familiar, faltam oportunidades e principalmente, falta amor. E as ausências mostradas em Fields, com famílias desestruturadas são as mesmas que existem nos bairros pobres do Brasil... As mesmas que acometem os bairros da vida real. Em suma, é um livro muito real.

    E os dramas dos personagens também são muito bem escritos, de modo que você perde a tarde inteira (ou a madrugada) entre as páginas e contém também as mais variadas histórias, que envolvem os mais diferentes dramas. Enfim, é um drama que te faz pensar um bocado sobre a realidade da pobreza e das misérias humanas e que eu recomendo para todos que querem ler!

    ResponderExcluir
  2. É exatamente assim! Quando terminei de ler fiquei um tempo pensando na estória, sem saber o que tinha realmente achado do livro, mas, parando para analisar, o enredo é muito real e J.K Rowling fala sobre os conflitos sociais sem maquiagem e com maestria, impossível não gostar!

    ResponderExcluir
  3. Não li a postagem porque ainda não li o livro, mas passando só para agradecer a menção à minha humilde pessoa no seu blog! Beijokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, muito obrigada pelo empréstimo do livro! Adorei!! Não acredito que você ainda não tenha lido!! Beijoss

      Excluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.